Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A Batalha de Lepanto


Artigo sobre uma das maiores batalhas navais da história, a batalha de Lepanto, onde os católicos com a ajuda de Nossa Senhora venceram os turcos que estavam invadindo a Europa.

Quando, no ano da Redenção de 1566, o Cardeal Ghislieri foi elevado ao trono pontifício com o nome de Pio V, a situação da Cristandade era angustiante. Com 
São Pio V
efeito, fazia aproximadamente um século que os turcos avançavam sobre a Europa, por mar e através dos Bálcãs, no intuito insolente de sujeitar à lei de Mafoma as nações católicas, e sobretudo de chegar até Roma, onde um de seus sultões queria entrar a cavalo na Basílica de São Pedro.
Mas o pior dos males não vinha de fora. O flagelo do protestantismo fizera apostatar a Inglaterra (subjugando a Irlanda e ameaçando a Escócia), continuava a alastrar-se pela Alemanha e convulsionava a França. A esse quadro de desgraças somava-se a cobiça dos reis e príncipes católicos, que já não eram movidos por aquele zelo da Fé e adesão à Igreja, que levara seus antepassados a atender à convocação da cruzada aos brados de “Deus o quer!”. Alguns não hesitavam ante vergonhosas e
espúrias alianças com os próprios turcos, para investir contra outras nações católicas, visando conquistas territoriais, glória mundana e poder.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - As sete palavras de Cristo na Cruz – Prefácio


Tradução: Permanência

Observai-me, agora, pelo quarto ano, a preparar-me para a morte. Tendo-me retirado dos negócios do mundo a um lugar de repouso, entrego-me à meditação das Sagradas Escrituras, e a escrever os pensamentos que me ocorrem nas meditações, para que, se já não posso ser de utilidade pela palavra de boca, ou pela composição de volumosas obras, possa ao menos ser útil a meus irmãos por meio destes piedosos livrinhos.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

PRIMEIRO CONCÍLIO DE NICÉIA - O Credo de Eusébio


A seguir, o Credo que Eusébio de Cesaréia apresentou ao Concílio, que alguns supõem tenha sugerido o Credo adotado ao final. O texto é encontrado em carta à sua diocese (v.tb.: St. Atanásio e Teodoreto).
Outros, porém, observam que o Credo de Eusébio se posicionou de forma equívoca ou omissa quanto à definição do "consubstancial", palavra de primordial importância no Concílio.

Cremos num só Deus, Pai Todo-Poderoso,
Criador das coisas visíveis e invisíveis.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Ladainha de Todos os Santos



Senhor, tende piedade de nós.
Kyrie, eleison.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Christe, eleison.
Senhor, tende piedade de nós.
Kyrie, eleison.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Christe, audi nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Christe, exaudi nos.
Deus pai do ceu, tende piedade de nós.
Pater de caelis Deus, miserere nobis.
Deus filho, redentor do mundo, tende piedade de nós.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

CONCÍLIO DE TRENTO - Sessão XXIV - Doutrina do Sacramento do Matrimônio/Os Bispos e Cardeais


CONCÍLIO ECUMÊNICO DE TRENTO
Sessão XXIV
Celebrada no tempo do Sumo Pontífice Pio IV, em 11 de novembro de 1563

Doutrina do Sacramento do Matrimônio
O primeiro Pai da linhagem humana declarou, inspirado pelo Espírito Santo, que o vínculo do matrimônio é perpétuo e indissolúvel, quando disse: "Já és osso de meus ossos, carne de minhas carnes: assim, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e serão os dois um só corpo". Ainda mais abertamente ensinou Cristo

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

DECLARAÇÃO "DOMINUS IESUS"


CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

DECLARAÇÃO 
"DOMINUS IESUS"
SOBRE A UNICIDADE E A
UNIVERSALIDADE SALVÍFICA
 DE JESUS CRISTO E DA IGREJA

INTRODUÇÃO 
1.  O Senhor Jesus, antes de subir ao Céu, confiou aos seus discípulos o mandato de anunciar o Evangelho a todo o mundo e de baptizar todas as nações: « Ide a todo o mundo e pregai o Evangelho a todas as criaturas. Quem acreditar e for baptizado será salvo, mas quem não acreditar será condenado » (Mc 16,15-16); « Todo o poder Me

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capitulo VII - As sete palavras de Cristo na Cruz – Sobre a Sexta Palavra de Cristo na Cruz


Tradução: Permanência

 

Introdução
Explicação Literal da Sexta Palavra: “Está tudo consumado”.

A sexta palavra que disse Nosso Senhor na Cruz está como que unida à quinta palavra mencionada por S. João. Pois entre o Senhor dizer “Tenho sede”, e tomar o vinagre oferecido, não houve tardança. Acrescenta S. João: “Havendo Jesus tomado do vinagre, disse: Tudo está consumado” (Jo 19, 30). Em verdade, nada se pode acrescentar a tais palavras: “Está tudo consumado”, senão que estava a obra da Paixão aperfeiçoada e completa. Impusera Deus Pai duas missões a seu Filho: a primeira,

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A DOUTRINA DOS APÓSTOLOS (Versão Breve)


Autor: Atribuída aos Doze Apóstolos
Tradução: Carlos Martins Nabeto

Este texto trata-se de uma versão latina muito antiga, que não se apóia no texto cristão da Didaqué, mas no texto grego de uma doutrina judaica tardia das duas vias; concepções paralelas se refletem, outrossim, na literatura sapiencial, bem como nos escritos rabínicos e nos manuais da seita de Qumran.
A tradução latina inicia-se com o título cristão "De doctrina apostolorum" e termina com uma doxologia trinitária. O próprio texto, contudo, não foi elaborado de novo por mãos cristãs. Já antes dessa versão latina, vários estudiosos haviam admitido a existência de um original judaico, como fonte da Didaqué 1-6; a "Doctrina" só vem a confirmar tal opinião.
O escrito pode ser datado entre o séc. I e II. [Fonte: "Patrologia", B.Altaner/A.Stuiber, ed. Paulinas, pp. 89/91].

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Capela Mór


Por Dom José Carlos de Aguirre
Nosso Senhor deu a Igreja uma organização hierárquica: Clero e laicato.
No templo, o lugar reservado ao clero é a «Capela Mór ».
Capela mór é a parte da igreja separada da nave central pelo arco-cruzeiro ou arco-triunfo.
Compõe-se de: abside atrás do Altar mor, presbitério, ou santuário, anterior ao Altar mor (elevado sobre o nível da nave central alguns degraus ímpares); coro da oficiatura divina, fechado por uma grade no arco-cruzeiro.
Antigamente, era em geral a seguinte disposição da capela mor:
Na abside, atrás do Altar mor, bem no fundo, ficava o trono episcopal, ladeado em semicírculo de assentos dos cônegos e clérigos cantores, formando o que se chama um coro. Depois, o Altar foi recuado mais para o fundo da abside, o trono episcopal passou para o presbitério, ao lado do

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A FRATERNIDADE SÃO PIO X NÃO É HERÉTICA, NEM SEDEVACANTISTA, NEM CISMÁTICA"


SIM SIM NÃO NÃO

“O vosso falar seja SIM SIM NÃO NÃO; porque tudo o que passa disso vem do Maligno” (Mt. 5,37)
Ubi veritas et iustitia, ibi caritas
Site da Edição Portuguesa do Jornal Romano antimodernista “Sì Sì No No”
Fundador: Pe. Francisco Maria Putti
Diretor: Pe. Emmanuel de Taveau

 “Jamais se vence o erro sacrificando-se qualquer direito da verdade.” Santo Irineu

A FRATERNIDADE SÃO PIO X NÃO É HERÉTICA, NEM SEDEVACANTISTA, NEM CISMÁTICA"

domingo, 17 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capítulo VI - As sete palavras de Cristo na Cruz – O segundo fruto que se há de colher da consideração da segunda Palavra dita por Cristo na Cruz.


Tradução: Permanência

 

O segundo fruto que se há de colher da consideração da segunda palavra é o conhecimento do poder da divina graça e da debilidade da vontade humana; tal conhecimento é o de que a melhor política consiste em depositar toda a confiança na graça de Deus, e em desconfiar inteiramente da própria força. Se algum homem quer conhecer o poder da graça de Deus, volte os olhos ao bom ladrão. Era notório

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

São Cipriano - DA INUTILIDADE DOS ÍDOLOS


Tradução: Luiz Fernando Karps Pasquotto

1. Estes que não são deuses, os quais as pessoas comuns adoram, são conhecidos por isto. Eles eram anteriormente reis, que por conta de suas memórias reais começaram a ser adorados por seus povos, mesmo depois de mortos. Desde então templos foram erigidos em honra deles; desde então imagens foram esculpidas para conservar as expressões do falecido; e homens sacrificaram vítimas, e celebraram dias de festas, com a intenção de lhes dar honras. Então, para os que vieram depois, estes ritos tornaram-se sagrados, os quais, primeiramente, foram adotados como um conforto. E agora vamos ver se esta verdade é sensata em casos particulares.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Santo Afonso Maria de Ligório - Modéstia dos Olhos‏


Quase todas as paixões que se revoltam contra nosso espírito têm sua origem na liberdade desenfreada dos olhos, pois os olhares livres são os que despertam em nós, de ordinário, as inclinações desregradas. “Fiz um contrato com meus olhos de não cogitar sequer em uma virgem”, diz Jó (Job 31, 1). Mas, por que diz ele de não pensar sequer em uma virgem? Não parece que deveria dizer: Fiz um contrato com meus olhos de não olhar sequer? Não, ele tem toda a razão de falar assim, porque o pensamento está intimamente ligado ao olhar, não se podendo separar um do outro, e, para não ter maus pensamentos, propôs-se esse santo homem nunca olhar para uma virgem.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capítulo V - As sete palavras de Cristo na Cruz


O primeiro fruto que se há de colher da consideração da segunda Palavra dita por Cristo na Cruz.
Tradução: Permanência

Podemos colher alguns frutos, tirados da segunda palavra dita na Cruz. O primeiro fruto é a consideração da imensa misericórdia e liberalidade do Cristo, e de como é bom e útil servi-lo. As muitas dores que Ele, Nosso Senhor, sofria, poderiam ser alegadas como escusa para não escutar a petição do ladrão; mas, em Sua caridade divina, preferiu olvidar Suas próprias dores atrozes a não escutar a oração de um pobre pecador penitente. Esse mesmo Senhor não respondeu nada às maldições e

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Infalibilidade monolítica e divergências entre antimodernistas

Arnaldo Xavier da Silveira

1. O mundo católico deve muito ao povo simples que conserva a fé verdadeira, bem como aos escritores e homens de ação antimodernistas que nos últimos decênios têm desenvolvido amplamente as doutrinas e ações em defesa do depósito sagrado da Tradição. Em variados campos da teologia, especialmente na eclesiologia e na liturgia, o aprofundamento dos princípios tradicionais tem sido notável; e, no terreno prático da vida católica, igualmente, os antimodernistas têm batalhado com denodo heroico que no futuro a História da Igreja registrará com destaque.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Papa Bento XVI anuncia a decisão de deixar o cargo. Sede vacante a partir de 28 de fevereiro.

DECLARATIO

Caríssimos Irmãos,

convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as

sábado, 9 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capitulo IV - As sete palavras de Cristo na Cruz


Explicação textual da segunda palavra: “Amém, Eu te digo: Hoje estarás comigo no paraíso.”
Tradução: Permanência

A segunda palavra, ou a segunda frase, pronunciada por Cristo na Cruz foi, segundo o testemunho de São Lucas, a magnífica promessa feita ao ladrão, que pendia em uma cruz a seu lado. A promessa foi feita nas seguintes circunstâncias: dois ladrões foram crucificados juntos ao Senhor, um a sua mão direita, outro a sua esquerda; um desses acrescentou a seus crimes do passado o pecado de blasfemar de Cristo, zombando de sua falta de poder para salvá-los, dizendo: “se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capitulo III - As sete palavras de Cristo na Cruz


O segundo fruto que se há de colher da consideração da primeira Palavra dita por Cristo na Cruz

 

Tradução: Permanência

Se os homens aprendessem a perdoar sem murmurações as injúrias que recebem, e assim forçassem seus inimigos a converterem-se em amigos, tiraríamos uma segunda e muito salutar lição da meditação da primeira palavra. O exemplo de Cristo e da Santíssima Trindade há de ser um poderoso argumento para nisto nos persuadirmos. Pois se Cristo perdoou e rezou por seus verdugos, que razão pode ser alegada para que um cristão não atue de modo semelhante com seus inimigos? Se Deus, nosso Criador,

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

O PROTESTANTISMO NÃO É O CRISTIANISMO


RAIOS DE SOL
Folhas Populares de Propaganda Católica
Padre Amando Adriano Lochu, S.J.
Segunda Série
que abrange os números 101 até 150
São Paulo – 1933


DIZEM os protestantes que são cristãos, que querem o cristianismo puro. E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Martírio de Inácio de Antioquia

Autor: Anônimo (Séc. I)
Tradução: Rafael Rodrigues

CAPÍTULO I - DESEJO DE INÁCIO PELO MARTÍRIO

Quando Trajano, há não muito tempo, subiu ao trono Romano, Inácio, o discípulo de João o apóstolo, um homem em todos os aspectos com um caráter apostólico, governou a Igreja de Antioquia com grande zelo. Tendo, com dificuldade, escapado das tempestades de inúmeras perseguições sob Domiciano, na medida em que, como grande piloto, pela guia da Oração e do Jejum, pela retidão dos seus ensinos e pelo seu [constante] trabalho espiritual, resistiu à enxurrada que rolou contra ele, temendo

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

São João Crisóstomo - SOBRE O SANGUE DE CRISTO


"Queres conhecer o valor do Sangue de Cristo? Voltemos às figuras que profetizaram e recordemos a narrativa do Antigo Testamento: Imolai, diz Moisés, um cordeiro de um ano e assinalai as portas com seu sangue. Que dizes, Moisés? O sangue de um cordeiro tem poder para libertar o homem racional? Certamente, responde ele, não porque é sangue, mas porque prefigura o Sangue do Senhor. Se hoje o inimigo, em vez de sangue simbólico aspergido nos umbrais, vir resplandecer nos lábios dos fiéis,

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

LADAINHA DE NOSSA SENHORA - ORIGEM E UTILIDADE


A Ladainha Lauretana, ou de Loreto

A ladainha da Santíssima Virgem Maria, é conhecida como Lauretana em lembrança e homenagem a Igreja de Loreto.
A causa está em que a igreja, ou a Santa Casa de Loreto, a basílica mais importante, em honra da Virgem Maria, fora da Terra Santa.
A palavra Ladainha é grega em sua origem, e significa uma súplica, um louvor.
Os frutos e a utilidade das ladainhas na igreja são inumeráveis. Servem para afastar os males do corpo e alma.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capitulo II - As sete palavras de Cristo na Cruz - O primeiro fruto que se há de colher da consideração da primeira Palavra dita por Cristo na Cruz


O primeiro fruto que se há de colher da consideração da primeira Palavra dita por Cristo na Cruz

 

Tradução: Permanência

Tendo dado o significado literal da primeira palavra dita por Nosso Senhor na Cruz, nossa próxima tarefa será esforçarmo-nos para recolher alguns de seus frutos mais preferíveis e vantajosos. O que mais nos impressiona na primeira parte do sermão  de Cristo na Cruz é sua ardente caridade, que arde com fulgor mais brilhante que o que possamos conhecer ou imaginar, de acordo com o que escreveu São Paulo aos

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

São Roberto Bellarmino - Capitulo I - As sete palavras de Cristo na Cruz – Primeira Palavra: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem"


Explicação literal da Primeira Palavra: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem"

Tradução: Permanência

Cristo Jesus, o Verbo do Pai Eterno, de quem o mesmo Pai dissera: “Ouvi-o”1, e que dissera de si mesmo: “Porque um só é o vosso Mestre” 2, para realizar a tarefa que assumira, nunca deixou de nos instruir. Não somente durante sua vida, mas até nos braços da morte, do púlpito da Cruz, pregou-nos poucas palavras, mas ardentes de amor, de suma utilidade e eficácia, e em todo o sentido dignas de ser gravadas no coração de qualquer cristão, para ser aí preservadas, meditadas, e realizadas