Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quinta-feira, 21 de março de 2013

Em qual rebanho o homem está?

Paulo Oliveira
Raros são, na atualidade, aqueles que não fazem parte do imenso rebanho que se alimenta nos pastos da euforia e do prazer, guiados pelos peões da imbecilidade, que insistem em chamar de arte a baixaria que promovem, enquanto seu rebanho chama de felicidade a escravidão em que vive.
            As roupas são minúsculas, as danças são promíscuas, os gestos são obscenos; tudo é válido para cumprir a obrigação de ‘pegar’ mulheres e vale a pena renunciar a qualquer coisa para estar com os amigos e beber até amanhecer, tempo que será preenchido com as lembranças e comentários da prostituição socializada que cada um viveu ou ainda vive e não se arrepende.
            Os menores sinais de uma vida reservada e contemplativa são rejeitados e a busca pela virtude não passa de hipocrisia ou loucura. Importante mesmo é ser “top”, é “tirar foto no espelho para postar no Facebook”, pois o que vale a pena é ter um corpo robusto, mas a alma pode ser a mais vil possível, já que, no rebanho, ninguém vai perceber o lixo interno em que o indivíduo vive. Aliás, quem se importa com a individualidade de uma massa de irracionais que busca desesperadamente integrar-se ao rebanho e seguir o berrante que emite os sons da imoralidade?
            Entregue ao prazer, o homem se esquece quem é e para onde vai. Escravo da louca embriaguez da euforia e preocupado em satisfazer a ditadura dos instintos, o homem não percebe que, desta forma, fica privado daquilo que lhe confere parte de sua dignidade: a razão.
            Mas falar sobre isto é proibido, já que, para tanto, seria necessário analisar as causas mais profundas e assim, restaurar as leis, que de fato puniriam os criminosos; restaurar a família, bem como a autoridade dos pais, que deveriam observar seus deveres; restaurar a educação, que ensinaria valores perenes invés da ideologia do Estado; restaurar as artes, que seriam uma fiel expressão do belo; restaurar a religião, que prestaria o verdadeiro culto que se deve a Deus invés de servir ao homem.
Aparentemente, porém, é inevitável que o homem faça parte de um rebanho. Se for assim de fato, por que insistir em fazer parte do rebanho chefiado por mercenários que fogem quando chega o ladrão, ou estar junto com lobos revestidos de ovelhas, se há a opção de servir fielmente ao pastor que conhece cada um pelo nome e oferece alimento sólido?

Fonte: http://blogdopaulooliveira.wallinside.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário