Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

domingo, 30 de junho de 2013

Santo Ambrósio (337-397) - Hino a São Lourenço.

São Lourenço sofreu o martírio durante a perseguição de Valeriano, em 258. Era o primeiro dos sete diáconos da Igreja romana. Sua função era muito importante e o fazia, depois do papa, o primeiro responsável pelas coisas da Igreja. Como diácono, São Lourenço tinha o encargo de assistir o papa nas celebrações e administrava os bens da Igreja, dirigia a construção dos cemitérios, olhava pelos necessitados, pelos órfãos e viúvas. Foi executado quatro dias depois da morte de Sisto II e de seus companheiros. Preso, foi intimado a comparecer diante do prefeito Cornelius Saecularis, a fim de prestar contas dos bens e das riquezas que a Igreja possuía. Pediu, então, um prazo para fazê-lo, dizendo que tudo entregaria. Confessou que a Igreja era muito rica e sua riqueza ultrapassava a do Imperador. Foram-lhe concedidos três dias. São Lourenço reuniu os cegos, os coxos, os aleijados, toda sorte de enfermos, crianças e velhos. Anotou-lhes os nomes e os repassou à autoridade.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Ideias claras sobre o magistério.

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

O benemérito periódico italiano SI SI NO NO, em seu número de 15 de janeiro último (2012), publicou uma importante matéria com o título Idéias claras sobre o magistério, que vale a pena resenhar para o leitor brasileiro, dada a atualidade do assunto.

Diz o referido artigo de Si SI NO NO que ultimamente apareceram vários artigos que, com o propósito de defender o magistério tradicional da Igreja, ou exageraram-lhe o alcance, fazendo-o um absoluto (erro por excesso) ou quase que o aniquilaram, negando-lhe a função de interpretar a Tradição e a Sagrada Escritura (erro por defeito). 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Papa Gregório XVI - Carta Apostólica In Supremo - Sobre a condenação da escravidão dos indígenas e do comércio dos negros

Carta Apostólica
In Supremo

Sobre a condenação da escravidão dos indígenas
e do comércio dos negros

1. Elevados à suprema dignidade do apostolado e representando, ainda que sem nenhum mérito, a pessoa de Jesus Cristo Filho de Deus, que por sua desmedida caridade se fez homem e se dignou morrer pela redenção do mundo, sentimos que pertence à nossa solicitude pastoral esforçar-nos para dissuadir completamente os fiéis do desumano mercado dos negros e de quaisquer outros homens.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Ecologismo e ambientalismo? - Padre Daniel Pinheiro - Sermão para o Quarto Domingo depois de Pentecostes - 16 de junho de 2013

Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém. Ave-Maria…

***

“Sabemos que todas as criaturas gemem e estão como que em dores de parto.”
Caros católicos, temos, na Missa de hoje, esse trecho da Epístola de São Paulo aos Romanos que nos fala dos gemidos e da ânsia das criaturas para se libertarem da sujeição da corrupção, e que poderíamos chamar de ecologia católica. Uma leitura apressada poderia nos fazer crer que São Paulo é um ecologista ou ambientalista de nossos tempos, preocupado com a natureza que sofre diante da perspectiva de

terça-feira, 25 de junho de 2013

Papa Paulo III - Bula Veritas ipsa - Sobre os índios

Paulo III,

a todos os fiéis cristãos que as presentes letras virem, saúde, e bênção apostólica.

A mesma Verdade, que nem pode enganar, nem ser enganada, quando mandava os Pregadores de sua Fé a exercitar este ofício, sabemos que disse: “Ide e ensinai a todas as gentes”. “A todas”, disse, indiferentemente, porque todas são capazes de receber a doutrina de nossa Fé.

Vendo isto e envejando o comum inimigo da geração humana, que sempre se opõe às

segunda-feira, 24 de junho de 2013

A sentença da alma culpada no juízo particular.

Discedite a me, maledicti, in ignem aeternum, qui paratus est diabolô et angelis eius – “Apartai-vos de mim, malditos para o fogo eterno, que está aparelhado para o diabo e os seus anjos” (Matth. 25, 41).


Sumário. Desgraçada da alma cuja vida no juízo não for achada conforme à de Jesus Cristo! Sem demora, o divino Juiz pronunciará contra ela a sentença de condenação eterna – Aparta-te de mim, maldita, para ires arder eternamente no fogo. Meu irmão, agora vivemos em segurança e com indiferença ouvimos falar do juízo; mas quantos há que assim viveram e agora estão no inferno! E quem nos assegura que o mesmo não sucederá conosco? Se a morte nos surpreendesse na primeira noite, qual seria a nossa sentença?

sábado, 22 de junho de 2013

Gustavo Corção - O pontificado de Paulo VI

Não me compete julgar a pessoa de Paulo VI, nem mesmo tentarei tirar dos sinais exteriores, que todos podem ver, uma interpretação que explique sua posição, com aumento ou diminuição de sua responsabilidade na constelação dos acontecimentos mais marcantes na história recente da Igreja. Não me cabe julgar Paulo VI. Mas creio que posso e devo dizer, com critérios aprendidos no regaço da Igreja, o que já mais de uma vez disse do pontificado de Paulo VI.

Se quiséssemos fazer um resumido inventário desse pontificado, teríamos de começar evidentemente pelo Concílio Vaticano II e mais especialmente pela Constituição Pastoral sobre a Igreja no mundo atual, o Decreto sobre o ecumenismo, a Declaração sobre a liberdade religiosa e pelo discurso de encerramento pronunciado pelo Sumo Pontífice.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

CONCÍLIO ECUMÊNICO DE TRENTO - Sessão XXI - Doutrina da Comunhão sob Ambas Espécies e da Comunhão das Crianças

CONCÍLIO ECUMÊNICO DE TRENTO
Sessão XXI
Celebrada no tempo do Sumo Pontífice Pio IV, em 16 de julho de 1562

Doutrina da Comunhão sob Ambas Espécies e da Comunhão das Crianças

Tendo presente o Sacrossanto, Ecumênico e Geral Concílio de Trento, reunido legitimamente no Espírito Santo e presidido pelos mesmos Legados da Sé Apostólica, os vários e monstruosos erros que pelos malignos artifícios do demônio aparecem em diversos lugares acerca do Imenso e Santíssimo Sacramento da Eucaristia, pelos quais, parece que em algumas províncias, muitos se apartaram da fé e obediência à Igreja

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Obediência e fidelidade

Fonte: Salve Regina

De Padre Giuseppe Pace [Tradução: Gederson Falcometa] 

Este artigo foi escrito pelo já falecido Padre Giuseppe Pace em 1978, que depois foi publicado no volume Zibaldone (de Frei Galdino da Pescarenico, Editiones Sancti Michaelis, pg. 42-45).
Apesar de o artigo ressentir de elementos ligados ao tempo em que foi escrito, o tempo das reformas “ad experimentum”, por exemplo, esse mantém toda a sua atualidade em repetir o verdadeiro sentido da obediência intimamente ligada a fidelidade … a fidelidade a Deus mais que aos homens. 

terça-feira, 18 de junho de 2013

Santo Arsênio da Capadócia (séc. V) - SALTÉRIO DE BÊNÇÃOS

Tradução: Fabio R. Araujo (auxiliado por Dom Estêvão Bittencourt)
Fonte: Biblioteca Ortodoxa de São Pacômio

Santo Arsênio habituou-se a usar os Salmos para bençãos, especialmente quando não havia uma benção determinada para uma ocasião particular. Aqui, na Primeira Parte, encontra-se a correspondência entre os salmos e diversas ocasiões. A lista original em grego pode se encontrada em O Geron Paisios escrita por Hieromonachos Christodoulos, Agion Oros, 1994.

Na Segunda Parte, nós apresentamos um índice remissivo (bem simples), talvez alguma outra pessoa possa melhorá-lo. Sem levar em conta qualquer consideração religiosa, este "Livro de Necessidades"

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Novíssimos do Homem

Ó Cristão que isto lês, olha que existe um Deus!
... uma alma! ... uma eternidade! ...

LEMBRA-TE
de teus novíssimos:
MORTE... JUÍZO... INFERNO... PARAÍSO...
e nunca pecarás.

1. — Lembra-te ... que foste criado somente para amares e servires o teu Deus nesta vida e o possuíres depois eternamente na outra . . .

domingo, 16 de junho de 2013

PAPA CLEMENTE XII - IN EMINENTI APOSTOLATUS SPECULA - SOBRE A MAÇONARIA

BULA PAPAL SOBRE A MAÇONARIA

CLEMENTE, bispo, servo dos servos de Deus a todos os fiéis, Saudações e Bênçãos Apostólicas.

Uma vez que a divina clemência colocou-Nos, mesmo nossos méritos não estando à altura de tal tarefa, no alto da torre do relógio do Apostolado com o dever de cuidado pastoral confiando em Nós, e tendo sido chamada a Nossa atenção, na medida em que foi concedida a Nós vinda do alto, com incessantes cuidados a todas essas coisas através do qual a integridade da religião ortodoxa é mantida a partir de erros e vícios, impedindo a sua entrada, e pelos quais os perigos de perturbação da maior parte dos tempos são repelidos de todo o mundo católico.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

São Beda, o Venerável (672-735) monge, Doutor da Igreja - Precursor na morte como na vida (Hino ao Martírio de São João Baptista; PL 94, 630)

Ilustre precursor da graça e mensageiro da verdade,
João Baptista, tocha de Cristo,
torna-se evangelista da Luz eterna.
O testemunho profético que não cessou de dar
com a sua mensagem, com toda a sua vida e a sua actividade,
assinala-o hoje com o seu sangue e o seu martírio.
Sempre tinha precedido o Mestre:
ao nascer, anunciara a Sua vinda a este mundo.
Ao baptizar os penitentes do Jordão,
tinha prefigurado Aquele que vinha instituir o Seu baptismo.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Padre António Vieira - Sermão de São Pedro

Pregado em Lisboa, em S. Julião, no ano de 1644,
à venerável congregação dos sacerdotes

Vos autem quem me esse dicitis? __  S. Mateus, XVI.

    Mui seguro está do seu valor quem tira a sua opinião ao campo. E se é temeridade tomar-se com muitos, com todo o mundo se tomou quem desafiou sua fama. Na ocasião de que fala S. Mateus (cujo é o Evangelho que hoje nos propõe a Igreja) diz que perguntou Cristo, Senhor nosso, que diziam dele os homens: Quem dicunt homines esse Filium hominis?  

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Papa Bento XIV - Bula Provida Romanorum Pontificum - Sobre a Maçonaria

Bula “Provida Romanorum Pontificum” de Bento XIV

[Treze anos depois da primeira condenação, em 1751, a suprema autoridade da Igreja, pela voz de Bento XIV, mais uma vez denunciou a Maçonaria, para confirmar a declaração anterior.]

BENTO, Bispo, servo dos servos de Deus.

Razões justas e graves obrigam-nos a confirmar e munir da força de nossa autoridade as sábias leis e sanções dos pontífices romanos, nossos predecessores, não somente

terça-feira, 11 de junho de 2013

Pe Júlio Maria de Lombaerde - Luz nas Trevas - POR QUE O PADRE NÃO SE CASA - [Capítulo XI]

CAPÍTULO XI 

POR QUE O PADRE NÃO SE CASA

Passemos à quarta objeção que nos atiram os maninhos de Lutero, julgando eles ser uma pedra formidável, capaz de esmagar um romano. Infelizmente a pedra não passa de uma formidável pena, que mostra apenas a ignorância e a falta de bom senso do seu autor.

O tal crente pede-me um texto que prove que os ministros da religião não devem se casar.

O negócio é sério. Parece que o crente quer servir de padrinho ou de escrivão de casamento... querendo casar até quem nem noiva conhece.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

São João Damasceno - Homilia Sobre a Dormição da Santíssima Mãe de Deus, a Bem Aventurada Virgem Maria


Quem ama ardentemente alguma coisa costuma trazer seu nome nos lábios e nela pensar noite e dia. Não se me censure, pois, se pronuncio este terceiro panegírico da Mãe de meu Deus, como oferenda em honra de sua partida. Isso não será favor para ela mas servirá a mim mesmo e a vós, aqui presentes - divina e santa assembléia - como um manjar salutar que, nesta noite sagrada, satisfaça nosso gosto espiritual. Estamos sofrendo, como sabeis, de penúria de alimentos. Assim, improviso a refeição; se não é suntuosa nem digna daquilo que no-Ia inspira, possa ao menos acalmar-nos a fome. Sim, não é Maria que precisa de elogios, nós é que precisamos de sua glória. Um ser glorificado, que glória pode receber ainda? A fonte da luz, como será iluminada ainda?

sábado, 8 de junho de 2013

Papa Leão XIII - Encíclica Libertas Praestantissimum

ENCÍCLICA
LIBERTAS PRAESTANTISSIMUM

PAPA LEÃO XIII

SOBRE OS ENSINAMENTOS DA IGREJA A RESPEITO DA LIBERDADE NATURAL E MORAL 

Aos Veneráveis Irmãos Patriarcas, Primazes, Arcebispos, e todos os Bispos do Orbe Católico em comunhão com a Sé Apostólica: Sobre a liberdade humana.

O SACRIFÍCIO ADULTERADO DA NOVA MISSA NA PROFECIA DE MALAQUIAS

Arai Daniele

“Duro oráculo do Senhor contra Israel, por intermédio de Malaquias, profeta.”

Assim começa o livro do último profeta que fala do Messias e do Sacrifício no Antigo Testamento, dirigindo-se a um povo que apresentava sinais de impiedade semelhante à dos cristãos de hoje. Por isto, é útil reler suas páginas breves mas de grande intensidade. Aqui faremos, pois, uma comparação do período descrito com o nosso, para procurar colher ensinamentos de valor perene.


“Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe dei em Horeb para todo o Israel, contendo os meus preceitos e mandamentos. Eis que vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia grande e horrível do Senhor. Ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para não suceder que eu venha e fira a terra com anátema. (Mal, 4-4)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

CONCÍLIO DE TRENTO - Prorrogação da Sessão XIX e Prorrogação da Sessão XX


CONCÍLIO ECUMÊNICO DE TRENTO
Sessão XIX
Celebrada no tempo do Sumo Pontífice Pio IV, em 14 de maio de 1562
Decreto sobre a Prorrogação da Sessão XIX
O mesmo sacrossanto Concílio de Trento, reunido legitimamente no Espírito Santo, e presidido pelos mesmos Legados da Sé Apostólica, estabeleceu e julgou que deveria ser prorrogada, como de fato prorrogado tem, por justas razões e causas racionais, até a Quinta-feira depois da festividade do Corpus Cristi, que será no dia 4 de junho, assim como os decretos que deveriam ser estabelecidos e promulgados no dia de hoje, na presente Sessão, e informa a todos que esta Sessão deverá ser celebrada no dia acima

quinta-feira, 6 de junho de 2013

São Teófilo de Antioquia - Terceiro Livro a Autólico

Capítulo I - Introdução
Teófilo a Autólico: Saudações. Os escritores querem escrever multidões de livros por vanglória; alguns sobre os deuses, as guerras e os tempos; outros sobre fábulas inúteis e trabalho vão, em que também tu te exercitaste até agora. Certamente não vacilas em suportar esse trabalho. Por outro lado, conversando conosco, ainda continuais crendo que a nossa doutrina da verdade é tolice, alegando que nossas Escrituras são recentes e novas. Diante disso tudo, eu também não vacilarei em tratar novamente, com a ajuda de Deus, desde o princípio, a questão da antiguidade de nossas Escrituras, a apresentantar-te um breve resumo, a fim de que não te enfades ao lê-lo e também conheças a inanidade dos outros autores.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

São Teófilo de Antioquia - Segundo Livro a Autólico

Capítulo I - Introdução
Excelente Autólico, há dias tivemos uma conversa, na qual tu me perguntaste qual era o meu Deus. Expus brevemente minha religião e tu prestaste atenção ao meu discurso. Despedindo-nos, fomos para casa na melhor amizade, embora no começo me tenhas tratado com dureza. Sabes e lembras que consideravas loucura o nosso discurso. Depois disso tu me convidas... Mesmo sendo novato na arte de falar, quero também agora, através deste escrito, demonstrar-te de modo mais completo a inutilidade do teu afã e a inanidade da religião que te retém; esclarecerei a verdade através de algumas histórias do teu próprio grupo, as quais lês, mas que talvez ainda não tenhas entendido. 
Capítulo II - Os ilogismos do paganismo: Idolatria

terça-feira, 4 de junho de 2013

São Teófilo de Antioquia - Primeiro Livro a Autólico


Capítulo I - Introdução
Boca eloqüente e dicção agradável fornecem prazer e glória fútil de louvor para os pobres homens que têm o entendimento corrompido; o amante da verdade, porém, não se prende a palavras afetadas, mas examina a eficácia da palavra, o que ela é e de que tipo é. Pois bem, meu amigo: tu me causaste estupor com palavras vãs, vangloriando-te dos teus deuses de pedra e madeira cinzelados e fundidos, esculpidos e pintados, deuses que não vêem nem ouvem (de fato, são imagens e obras de mãos humanas); além disso, tu também me chamas zombeteiramente de cristão, como se eu portasse

segunda-feira, 3 de junho de 2013

São Jerônimo - Carta ao Papa Dâmaso & Ignorar as escrituras é ignorar a Cristo.

Carta ao Papa Dâmaso.

São Jerônimo, a pedido do Papa Dâmaso, traduziu do grego para o latim a Bíblia que se chamou a Vulgata Latina. Que é a Bíblia para nós, o povo, e serve de referência para as traduções das outras.
São Jerônimo 
escreveu ao Papa Dâmaso, a respeito da tradução.

"Da velha Obra me obrigais a fazer nova Obra. Quereis que, de alguma sorte, me coloque como árbitro entre os exemplares das Escrituras que estão dispersos por todo mundo, e, como diferem entre si, que eu distinga os que estão de acordo com o verdadeiro Texto Grego. É um piedoso trabalho, mas é também um perigoso arrojo, da parte de quem deve ser por todos julgado, julgar ele mesmo os outros, querer mudar a

sábado, 1 de junho de 2013

Evágrio Pôntico - Padres do Deserto - Dos Oito Vícios Capitais

1. A Gula (1)
Capítulo I
A origem do fruto é a flor e a origem da vida ativa (2) é a moderação (3); quem domina o próprio estômago, diminui as paixões; pelo contrário, quem é subjugado pela comida, aumenta os prazeres.
Assim como Amalec é a origem dos povos, também a gula é a origem das paixões. Assim como a lenha é alimento do fogo, a comida é o alimento do estômago. Muita lenha proporciona uma grande chama e a abundância da comida nutre a concupiscência. A chama se extingue quando há menos lenha e a miséria de comida apaga a concupiscência.