Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

NÃO TRATEMOS OS LOBOS COMO OVELHAS PERDIDAS

A doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo está cheia de verdades aparentemente antagônicas que, entretanto, examinadas com atenção, longe de reciprocamente se desmentirem, reciprocamente se completam formando uma harmonia verdadeiramente maravilhosa. É este o caso, por exemplo, da aparente contradição entre a justiça e a bondade divinas. Deus é ao mesmo tempo infinitamente justo e infinitamente misericordioso. Sempre que para compreendermos bem uma destas perfeições fecharmos os olhos a outra, teremos caído em grave erro. Nosso Senhor Jesus Cristo deu, em Sua vida terrena, admiráveis provas de Sua doçura e de Sua severidade. Não pretendamos “corrigir” a personalidade de Nosso Senhor segundo a pequenez de nossas vistas, e fechar os olhos à suavidade para melhor nos edificarmos com a justiça do Salvador; ou pelo contrário fazermos abstração de Sua justiça para melhor compreendermos Sua infinita compaixão para com os pecadores. Nosso Senhor se mostrou perfeito e adorável tanto quando acolhia com

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Os Papas 8ª Parte: Do Papa Lando ao Papa Silvestre II (913 a 1003)

121- Papa Lando (913-914) - Subiu ao trono papal por intriga de uma das várias facções romanas. Morreu misteriosamente, depois de ter conseguido estabelecer a paz no meio de tantas lutas internas. Morreu em Fevereiro de 914, apenas seis meses após a consagração.

122- Papa João X (914-928) - Foi um papa enérgico e independente. Havia já 30 anos que os Sarracenos desolavam o sul da Itália. Destruíram os grandes mosteiros de Subiaco e de Farfa, este defendido heroicamente sete anos pelo abade Pedro. Assaltavam os peregrinos, que iam a Roma, vendendo-os como escravos. Nem o rei Berengário, nem os duques conseguiam expulsar os infiéis. O Papa armou uma

Os Papas 7ª Parte: Do Papa Valentino ao Papa Anastácio III (827 a 913)

100- Papa Valentino (827) – Seu pontificado durou apenas quarenta dias. A sua consagração foi acolhida com grandes manifestações de júbilo pelo seu caráter bondoso.

101- Papa Gregório IV (827-844)Mandou fortificar as muralhas de Roma, perante a ameaça dos muçulmanos (designados como sarracenos). Contribuiu para o desenvolvimento arquitetural de Roma e promoveu a celebração do dia de todos os santos.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Os Papas - 6ª Parte: Do Papa Eugênio I ao Papa Eugênio II (655 a 827)

075- Papa Eugênio I (655-657) – Combateu o monotelismo.

076- Papa Vitaliano (657-672)Foi o primeiro papa a autorizar o som e o uso do órgão nas cerimónias religiosas. Em 671, os lombardos converteram-se ao cristianismo.

077- Papa Adeodato II (672-676) - Foi o primeiro papa a datar os seus atos com os anos do seu pontificado e a usar nas leituras a fórmula "Salute ed apostolica benedizione". Restaurou a disciplina monástica. Com a ajuda dos missionários, desenvolveu uma importante obra de conversão dos moronitas. Viveu como monge mesmo no palácio papal, dedicado à oração e ao estudo das Escrituras.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Os Papas - 5ª Parte: De São Agapito a São Martinho I (535 a 655)

057- Papa São Agápito I (535-536) - Agapito era filho de Gordianus, um padre romano assassinado nos tumultos no tempo do Papa Símaco (498-514). Combateu a doutrina monofisista e fundou em Roma, uma biblioteca de autores eclesiásticos. Belisário, após ter conquistado a Sicília, preparava-se para invadir a Itália. O rei ostrogodo Teodato, como último recurso, pediu ao pontífice que viajasse a Constantinopla e fizesse valer a sua influência junto do imperador Justiniano I. Terá morrido envenenado por tramas obscuras da esposa do Imperador, Teodora.

058- Papa São Silvério (536-537) - A ascensão de Silvério ao trono pontifício, foi fonte de ásperas relações entre o diácono Vigílio e o novo papa. Em 536, com a morte do rei

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Os Papas – 4ª Parte: De Santo Hilário a Papa João II (461 a 535)

046- Papa Santo Hilário (461-468) - Estabeleceu que para ser sacerdote era necessário possuir uma profunda cultura e que pontífices e bispos não podiam designar seus sucessores.

047- Papa São Simplício (468-483) - no oitavo ano de seu pontificado ocorreu a queda do Império Romano do Ocidente. Enfrentou o cisma que ocasionou a fundação das igrejas da Armênia, Síria e Egito. Frente à miséria que se formou para a Igreja em Roma e em Constantinopla, organizou a distribuição das esmolas aos peregrinos e às novas igrejas.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Os Papas – 3ª Parte - Do Papa São Eusébio ao Papa São Leão I Magno (309 a 461)

031- Papa São Eusébio (309 - 310) - Confirmou a atitude adotada pelo seu antecessor: expulsar para sempre da comunhão eclesiástica os que tinham apostatado, com a possibilidade de serem readmitidos aqueles que, depois de um ato público de penitência (Eusebius miseros docuit sua crimina flere), manifestassem um sincero arrependimento.

032- Papa São Miltíades (311-314) - Durante seu pontificado, em outubro de 312, Constantino derrotou Magêncio e assumiu o controle de Roma. Constantino presenteou o papa com o Palácio

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Os Papas – 2ª Parte - Do Papa São Vitor ao Papa São Marcelo I (189 a 309)

014 - Papa São Vitor I (189-199) -  Estabeleceu que qualquer tipo de água, quer seja de um rio, mar ou outras fontes, pode ser utilizada no batismo, no caso de faltar água benta. Outra contribuição importante foi que Vítor tomou partido do estabelecimento do domingo (em substituição do sábado) como dia sagrado, em memória da ressurreição de Jesus Cristo, determinando que a Páscoa seria celebrada sempre neste dia da semana. É também sua a decisão de realizar as missas em latim em vez de grego. Mártir

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Os Papas – 1ª Parte - De São Lino a São Eleutério (67 a 189)

Os primeiros 13 Papas após São Pedro foram descritos por Santo Irineu:

O TESTEMUNHO DE SANTO IRINEU: Os bem-aventurados apóstolos que fundaram e edificaram a Igreja transmitiram o governo episcopal a Lino, o Lino que Paulo lembra na carta e Timóteo. Lino teve como sucessor Anacleto. Depois dele, em terceiro lugar, depois dos apóstolos, coube o episcopado a Clemente, que vira os próprios apóstolos e estivera em relação com eles, que ainda guardava viva em seus ouvidos a pregação deles e diante dos olhos a tradição. No pontificado de Clemente surgiram divergências graves entre os irmãos de Corinto. Então a Igreja de Roma enviou aos coríntios uma carta importantíssima para reuni-los na paz, reavivar-lhes a fé e reconfirmar a tradição que há pouco tempo tinham recebido dos apóstolos, isto é, a fé num único Deus todo

sábado, 17 de agosto de 2013

G. K. Chesterton - Por que sou católico?

Capítulo Why I am a Catholic, disponível na obra Twelve Modern Apostles and Their Creeds (1926)
Traduzido por Antonio Emilio Angueth de Araujo

A dificuldade em explicar “Por que eu sou Católico” é que há dez mil razões para isso, todas se resumindo a uma única: o catolicismo é verdadeiro. Eu poderia preencher todo o meu espaço com sentenças separadas, todas começando com as palavras, “É a única coisa que ...” Como, por exemplo, (1) É a única coisa que previne um pecado de se tornar um segredo. (2) É a única coisa em que o superior não pode ser superior; no sentido da arrogância e do desdém. (3) É a única coisa que liberta o homem da escravidão degradante de ser sempre criança. (4) É a única coisa que fala como se fosse a verdade; como se

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

São Cirilo de Jerusalém (315-386) - CATEQUESE MISTAGÓGICA

Tradução: fr. Frederico Vier, O.F.M.
Fonte: www.padresdodeserto.net

Nasceu em Jerusalém, cerca de 315 e foi educado como um cristão. Em 345 se tornou um padre e foi ordenado por São Máximus. Em 350 ele sucedeu a Máximus como Bispo Patriarca de Jerusalém. Devido a vários levantes provocados pela Controvérsia Ariana ele passou 35 anos como bispo em vários tipos de exílio. Expulso de sua Sé pelos hereges Arianos em 357 Cirilo residiu em Tarsus na Ásia menor (hoje Turquia) até 359 quando ele foi reconduzido ao seu posto. Sofreu um segundo exílio desta vez pelo Imperador Juliano, o apóstata (361-363). Um terceiro exílio ocorreu de 367 a 378, sob o comando do Imperador Ariano Valens, porem Cirilo foi inocentado de todas as acusações por São
Gregório de Nyssa. Seu retorno ocorreu logo após a morte de Valens na batalha de Adrianople em 378. Cirilo e Gregório atenderam ao Concilio de Constantinopla em 381. Cirilo é honrado como catequista e escreveu "Catequeses " ( contendo 18 instruções para candidatos ao batismo durante a quaresma, e 5 para os recém batizados após a Páscoa), que é considerado uma peça de mestre em teologia; escreveu ainda 5 trabalhos conhecido como Mystagogic.
Ele foi declarado Doutor da Igreja pelo Papa Leão XIII ( 1878-1903).
Faleceu em 386 DC.(fonte)

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

DESPRENDIMENTO DOS PARENTES, SOBRETUDO QUANTO À VOCAÇÃO



Santo Afonso Maria de Ligório

1. Para alguém chegar à perfeição com Deus, deve desapegar-se totalmente das criaturas, e, em particular, renunciar ao amor desregrado dos parentes. Disse Jesus Cristo: Se alguém vem a mim, e não aborrece seu pai, mãe, mulher, filhos, irmãos e até a sua vida, não pode ser meu discípulo (Lc 14,26). E por que esse ódio, isto é, desapego dos parentes? É porque muitas vezes, no referente ao bem da nossa alma, não temos inimigos maiores do que os nossos parentes: Cada um, diz ainda o Salvador, terá por inimigos os da sua própria casa (Mt 10,36). S. Carlos Borromeu dizia que, sempre que ia à casa dos parentes, voltava mais frio de espírito. Quando perguntavam ao P. Antônio Mendonza por que não visitava a casa dos parentes, respondeu: “Sei por experiência que em nenhum lugar os religiosos perdem tanto a devoção como na casa dos parentes”.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A mãe cristã – recordando sua altíssima vocação.


Mulher cristã, tu não nasceste para fazer obras mestras. As grandes obras da política, da guerra, da ciência, da literatura, da arte, não brotaram das tuas mãos, nem do teu engenho. Tudo isto é obra dos homens. Todavia, tu fizeste o que mais vale, formaste esses homens, não só porque os geraste com o teu sangue, mas também porque os modelaste com tua paciência e com teus encantos.
Esposa, Deus te criou para ajuda do homem. Casaste para auxiliar a teu esposo na grande obra de dar filhos a Deus, cidadãos à sociedade, fiéis à Igreja e eleitos ao céu.

Sê generosa com Deus; não lhe negues por egoísmo, por temor ao trabalho e à dor, os filhos que te quer dar. Eles serão tua coroa no céu.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

São Sofrônio de Jerusalém - Vida de Santa Maria do Egito

Prólogo

É algo louvável esconder o segredo dos Reis; mas há glória em publicar as obras de Deus, como diz o Anjo a Tobias, quando este recobra de maneira miraculosa a visão – tendo passado por tantos perigos goza então, dos efeitos do amor e da ajuda de Deus. É bastante perigoso descobrir os segredos dos príncipes e, contrariamente, causa muito prejuízo à alma calar-se sobre as ações ilustres, que Deus faz em favor dos homens pelo excesso de Sua bondade e de Sua misericórdia. É portanto temerário encobrir com o silêncio as maravilhas divinas, por um justo julgamento. Seria cair na mesma condenação daquele servo inútil que ao invés de aproveitar do talento recebido

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Pluralismo e paz segundo um prelado

Um ilustre prelado, considerado da ala conservadora, disse há poucos dias, a propósito da liberdade religiosa, que os católicos precisam aprender a viver em uma sociedade que se torna cada vez mais pluralista. Frisou que a consciência do valor do compromisso de estar juntos é um elemento decisivo do futuro da Europa e que o fundamentalismo, como uma corrupção da verdadeira religiosidade que ignora a interculturalidade e a inter-religiosidade, é incapaz de respeitar as diferenças e  só pode desembocar no terrorismo. Ressaltou ainda sua eminência que tal postura não pode significar absolutamente uma forma de sincretismo. Certamente, na sua visão, a luta corajosa dos católicos franceses contra a lei da união civil homossexual expressa uma postura fundamentalista que não se coaduna com a sociedade pluralista de hoje.

sábado, 10 de agosto de 2013

QUEIXA DE JEAN MADIRAN AO SANTO PADRE EM 1972


Jean Madiran, o conhecido diretor da revista francesa Itinéraires fundada por ele em 1956 para congregar a nata do pensamento católico da época no combate ao progressismo modernista, e do Jornal Présent, faleceu no dia 31 de julho, aos 93 anos. RIP.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Mélanie Calvat: assim é a Santíssima Virgem

A descrição que Mélanie Calvat, pastora de La Salette, fez da Santíssima Virgem

A Santíssima Virgem apresentou-se alta e bem proporcionada; parecia ser tão leve como se, com um simples sopro, se pudesse fazê-la mover-se. A sua fisionomia era majestosa, imponente, mas não imponente como a dos senhores cá de baixo. Impunha um temor cheio de respeito. Embora a sua Majestade impusesse um misto de respeito e amor, ao mesmo tempo exercia uma atração para si. O olhar era doce e penetrante, os seus olhos pareciam falar com os meus, mas as suas palavras provinham dum profundo e vivo sentimento de amor para com aquela beleza que me fundia. A doçura do seu olhar, o seu ar de bondade incomensurável faziam compreender e sentir que exercia atração e que se queria dar; era uma expressão de amor que não se pode exprimir com a nossa língua de carne nem com as palavras do alfabeto.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

MALDITO RESPEITO HUMANO

Não há nada, meus irmãos, de mais glorioso e de mais honrável para um cristão do que carregar o nome sublime de filho de Deus, de irmão de Jesus Cristo. Da mesma forma, não há nada de mais infame do que ter vergonha de manifestar isso todas as vezes que surge a ocasião. Não, meus irmãos, não nos admiremos ao ver os hipócritas demonstrarem o quanto podem um exterior de piedade para atrair sobre si a estima e os louvores do homem, enquanto que seus pobres corações são devorados pelo pecado mais infame. Estes cegos gostariam de gozar das honras que estão inseparáveis da virtude, sem ter o trabalho de praticá-las. Além do mais, não nos admiremos ainda menos ao ver bons cristãos

terça-feira, 6 de agosto de 2013

A gravidade do pecado venial - (Padre Alexandrino Monteiro, S. J.)

Entre os hebreus usavam-se duas sortes de pesos e de balanças. Havia o chamado peso do Santuário, que era verdadeiro e justo; e o chamado peso público, que era falso e injusto.

Ora, com duas sortes de balanças se pesam também os pecados dos homens. Se se pesam na balança pública do mundo, que é mentirosa e falaz (Prov 11, 1), dir-se-á que o pecado mortal não é coisa de valor, e que o venial, como leve que é, não tem nenhuma importância. Mas esse modo de pensar já o lamentava Santo Antônio de Pádua em seu tempo (Dom. 4 post Trin.).

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Importância do último fim.

Quid prodest homini, si mundum universum lucretur, animae vero suae detrimentum patiatur? –  “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder a sua alma?” (Matth. 16, 26.)

Sumário. Eis aí o negócio de todos os negócios, o único importante, o único necessário: o serviço de Deus e a salvação da alma. Quem se salvar, será feliz para sempre e gozará no céu toda a sorte de bens; ao contrário, quem se condenar, será para sempre desgraçado e sofrerá no inferno toda a sorte de males. Mas, como é que este tão importante negócio é tão descuidado da maior parte dos homens?... Ah, meu irmão não sejamos nós do número desses insensatos e não imaginemos que possamos fazer acordar o céu com os pecados.

sábado, 3 de agosto de 2013

Tomás responde: A Mãe de Deus foi virgem ao conceber Cristo?

Parece que a Mãe de Deus não foi virgem ao conceber Cristo:

1. Com efeito, nenhum filho que tem pai e mãe é concebido de mãe virgem. Ora, de Cristo se diz não só que teve mãe, mas também pai: “Seu pai e sua mãe estavam admirados do que se dizia do menino”, está no Evangelho de Lucas (2, 33). E mais adiante: “Eis que teu pai e eu te buscávamos angustiados” (v. 48). Logo, Cristo não foi concebido de mãe virgem.
2. Além disso, o início do evangelho de Mateus prova que Cristo foi filho de Abraão e de David porque José era descendente de David. Tal prova ficaria sem valor se José não fosse pai de Cristo. Parece, pois, que a mãe de Cristo o concebeu pela união com

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

A doutrina da Santíssima Trindade nos Padres pré-Nicenos

INTRODUÇÃO

Neste artigo, tento estudar a evolução do dogma da Santíssima Trindade ao longo da História. Pois bem. Poderia estar perguntando o leitor: “os dogmas da Igreja evoluíram?”, ao que posso responder que, ainda que não tenham evoluído quanto ao seu conteúdo (a verdade é a mesma ontem, hoje e amanhã), evoluíram quanto à consciência que deles foi adquirindo a Igreja. Com efeito, o tempo permitiu que a terminologia deste dogma central da fé cristã fosse se enriquecendo, para expressar de uma forma mais precisa aquilo que a Igreja sempre professou. Surge, assim, o termo “Trindade” como uma forma de definir o mistério de que existe um só Deus em três

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Os Padres da Igreja

Chamamos de “Padres da Igreja” (Patrística) aqueles grandes homens da Igreja, aproximadamente do século II ao século VII, que foram no oriente e no ocidente como que “Pais” da Igreja, no sentido de que foram eles que firmaram os conceitos da nossa fé, enfrentaram muitas heresias e, de certa forma foram responsáveis pelo que chamamos hoje de Tradição da Igreja; sem dúvida, são a sua fonte mais rica. 

Certa vez disse o Cardeal Henri de Lubac: “Todas as vezes que, no Ocidente tem florescido alguma renovação, tanto na ordem do pensamento como na ordem da vida – ambas estão sempre ligadas uma à outra – tal renovação tem surgido sob o signo dos Padres”. Gostaria de apresentar aqui ao menos uma relação, ainda que incompleta, desses gigantes da fé e da Igreja, que souberam fixar para sempre o que Jesus nos deixou através dos Apóstolos.