Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Padre Michael Rodriguez - Se dependesse de mim, eu nunca celebraria o ‘Novus Ordo Missae’ novamente.

Trechos da entrevista do padre Michael Rodriguez a Michael J. Matt, editor do periódico The Remnant. Não traduzimos os dados biográficos por já termos fornecido essas informações aos nossos leitores na primeira entrevista escrita que o padre Rodríguez nos concedeu. Os destaques são nossos.

* * *
MJM: Liturgicamente – onde o senhor se encaixaria? Sei que o senhor celebra a Missa Tradicional em Latim, mas podemos descrevê-lo como um “tradicionalista” de carteirinha?
Pe.: Liturgicamente, apóio integralmente a Missa Tradicional em Latim, que sem dúvida é a Missa verdadeira da Igreja Católica Romana. Teologicamente, liturgicamente, a espiritualidade católica e a ascese, e a própria história, tudo aponta para a superioridade
óbvia do Rito Romano Clássico. Infelizmente, toda a minha formação no seminário foi no Novus Ordo, e só “descobri” a Missa em Latim cerca de seis anos atrás, assim ainda tenho muito a aprender em termos de “catolicismo real”, ou seja, o “catolicismo tradicional”.
MJM: O que o levou inicialmente a começar a oferecer a Missa antiga?
Pe.: Cerca de seis anos atrás, vários fiéis começaram a me perguntar se eu estaria interessado em oferecer a Missa Tradicional em Latim. Naquela época, havia uma grande preocupação da parte “dos católicos tradicionais remanescentes de El Paso” de que o padre jesuíta que oferecia a Missa em Latim duas vezes ao mês (sob o “indulto” Ecclesia Dei de 1988) fosse transferido. Assim, eles estavam procurando por outro padre que pudesse oferecer a Missa em Latim. A princípio, recusei, não tanto porque não estivesse interessado, mas devido à imensa carga de trabalho que eu já estava fazendo.
À medida que as semanas transcorriam, comecei a estudar as orações e a teologia da Missa Tradicional em Latim. Quanto mais eu estudava, mais eu ficava admirado e encantado. Eu estava “descobrindo” não apenas a verdadeira teologia católica da Missa, mas também a verdadeira teologia católica do sacerdócio, e muito mais! Ao longo dos meus primeiros nove anos de sacerdócio, eu lutara para entender os muitos problemas graves que existem na Igreja. Nesse ponto, ficou evidente que uma crise extrema invadiu a Igreja e sua hierarquia, mas por quê? Eu simplesmente não podia entender como toda essa “desorientação diabólica” tinha acontecido. . . Até que a luz brilhante da Missa católica verdadeira (“Emitte lucem tuam et veritatem tuam…”) começou a penetrar a minha alma. Essa “descoberta” da Missa Tradicional em Latim tem sido, de longe, o maior presente de Deus para o meu sacerdócio.
MJM: Então, isso nos dá uma idéia de como o motu proprio Summorum Pontificum do Papa Bento XVI pode e de fato afeta os sacerdotes que de outra forma talvez nunca tenham tido a oportunidade de descobrir este grande tesouro. Devido ao fato de como ele afetou o senhor, como o senhor crê que o Summorum Pontificum irá afetar a Igreja em longo prazo?
Pe.: Infelizmente, tanto o Summorum Pontificum quanto a Universæ Ecclesiæ têm muitos pontos fracos. Não obstante, esses documentos representam um passo inicial naquilo que provavelmente ainda será um longo e árduo “Calvário”, ou seja, a ânsia dos católicos tradicionais para restaurar a cruz, a missa, o reinado de Jesus Cristo, e a doutrina católica verdadeira, fora da qual não há salvação. No Artigo 1 do Summorum Pontificum, o Papa Bento XVI escreve que “a honra devida deve ser dada ao Missal Romano promulgado por São Pio V em razão de seu uso antigo e venerável”. A diretriz de nosso Santo Padre atualmente está sendo desobedecida quase universalmente. Na carta que acompanha o documento dirigida aos bispos do mundo (7 de julho de 2007), o Papa Bento XVI escreve, “Aquilo que para as gerações anteriores era sagrado, permanece sagrado e grande também para nós, e não pode ser de improviso totalmente proibido ou mesmo prejudicial. Faz-nos bem a todos conservar as riquezas que foram crescendo na fé e na oração da Igreja, dando-lhes o justo lugar”. Essas palavras notáveis do nosso Santo Padre também estão sendo desrespeitadas e desobedecidas quase que universalmente, especialmente, por muitos bispos. Finalmente, a Universæ Ecclesiæ, no nº 8, afirma muito claramente que o Rito Antigo é um “tesouro precioso a ser preservado” e deve ser “oferecido a todos os fiéis.”
Onde em todo o mundo católico esta diretriz está sendo efetivamente obedecida? O mesmo número da Universæ Ecclesiæ enfatiza que o uso da Liturgia Romana de 1962 “é uma faculdade generosamente concedida para o bem dos fiéis e, portanto, deve se interpretada em um sentido favorável aos fiéis que são os principais destinatários”. Essa é uma afirmação impressionante. Essa afirmação de Roma significa que o uso do Missal de 1962 não depende dos pontos de vista, preferências ou teologia particulares do bispo. Não se trata de bispos! Pelo contrário, trata-se de fiéis! Onde em todo o mundo católico esta diretriz está sendo efetivamente obedecida?
MJM: agora o senhor pode oferecer a Missa antiga com exclusividade?
Pe.: Desde que iniciei minha nova designação (24 de setembro de 2011) nas missões rurais isoladas da diocese de El Paso, tenho oferecido a Missa Tradicional em Latim em caráter exclusivo. Penso que isso é uma benção maravilhosa e inesperada da Providência em meio a uma provação muito difícil. Espero continuar oferecendo a Missa Tradicional em Latim em caráter exclusivo. Se dependesse só de mim, eu nunca celebraria o Novus Ordo Missæ novamente. Entretanto, a triste realidade de ter que “obedecer” na Igreja doNovus Ordo que em grande parte perdeu a fé, e a necessidade de alcançar pacientemente os fiéis do Novus Ordo que têm sido tão induzidos ao erro, significa que provavelmente serei “forçado” a celebrar o Novus Ordo ocasionalmente. Entretanto, nessas circunstâncias, será o Novus Ordo ad orientem,com o Cânon Romano, o uso do latim e a Santa Comunhão distribuída de acordo com as normas tradicionais.
MJM: Até o ano passado, creio, as coisas estavam muito calmas na sua vida sacerdotal. O que aconteceu para mudar tudo?
Pe.: A “polêmica” local, e até mesmo nacional, que tocou conta de mim se deve ao fato de que eu tenho me expressado verbalmente na promoção daquilo que a Igreja Católica ensina com relação a toda a questão do homossexualismo. É uma desgraça, porém, a Câmara Municipal de El Paso tem sido obstinada na tentativa de legitimar as uniões do mesmo sexo. Isso se opõe completamente ao magistério da Igreja Católica. Deixei claro aos católicos de El Paso (e mais além) de que todo católico tem a obrigação moral perante o próprio Deus de se opor a qualquer tentativa governamental de legalizar as uniões homossexuais. Um católico que deixa de se opor à agenda homossexual, está cometendo um grave pecado por omissão. Além disso, se um católico não consente com o ensinamento moral infalível da Igreja de que os atos homossexuais são mortalmente pecaminosos, então, esse católico está se colocando fora da comunhão com a Igreja. Esses são os católicos que estão efetivamente excomungando a si mesmos. Não a Fraternidade de São Pio X!
MJM: Eu posso entender porque as autoridades civis e a mídia possam achar esse assunto “polêmico”; mas por que os seus superiores eclesiásticos achariam isso?
Pe.: A reação deprimente tanto das autoridades civis quanto das eclesiásticas aos ensinamentos autênticos da Igreja Católica com relação ao homossexualismo demonstra quão extrema realmente é a crise atual de fé. De fato, a coisa não pode piorar ainda mais. Quase não há fé sobrando para ser perdida! Mesmo um pagão, desprovido da luz da fé, pode chegar à conclusão de que os atos homossexuais são intrinsecamente maus. Razão, lei natural e considerações da anatomia masculina e feminina confirmam de maneira mais que suficiente essa verdade moral.
MJM: E agora o senhor deve ir para onde o bispo lhe diz para ir. Isso é difícil para o senhor?
Pe.: Nas minhas circunstância particulares, obediência ao meu bispo tem sido incrivelmente difícil. Contudo, a obediência é essencial ao sacerdócio, e pretendo ser obediente. Um aspecto consolador da obediência “sacrifical, “morte para si mesmo”, é que o Espírito Santo sempre virá para nos assistir. Sou lembrado de que meus pobres sofrimentos não são nada comparados àqueles da Mater Dolorosa e de nosso Redentor Divino. Se sou contado como um mesmo ligeiramente digno de sofrer pela Fé e pela Missa Tradicional em Latim, eu me considerarei profundamente abençoado. Deus é tão bom.
MJM: Como o senhor já está passando por uma forma de perseguição, suponho que o senhor preveja mais por vir, não apenas para o senhor pessoalmente, mas para todos os católicos que se colocam em defesa do magistério da Igreja. Mas o que dizer do futuro? Alguma esperança?
Pe.: Sim, eu realmente prevejo muita perseguição ainda por vir para todos aqueles que permanecem firmes na Fé e em sua adesão ao Rito Antigo. Entretanto, a promessa de nosso Salvador não pode fazer outra coisa senão preencher as nossas almas com esperança, “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus.” (Mt 5:10-12)
MJM: Como os leigos católicos podem sobreviver a esta crise de fé Ca melhor maneira?
Pe.: Para sobreviver a esta crise de fé, precisamos (1) fazer tudo em nosso poder para recobrar a Fé Católica: o Rito Antigo, o ensinamento católico tradicional em sua doutrina e moral, a teologia e filosofia de Santo Tomás de Aquino, a piedade e devoções católicas tradicionais, e um “código de vida” ou “ritmo de vida” católico tradicional.  (2) Precisamos rezar, estudar, jejuar, fazer penitência e praticar a caridade diariamente tendo em mente o objetivo acima. Finalmente, recomendo fortemente a todos os fiéis católicos que (3) rezem o Santo Rosário diariamente e prestem atenção na Mensagem de Nossa Senhora em Fátima.
Uma das marcas distintivas da Missa Tradicional em Latim é o seu enfoque requintado e concentrado naeternidade. Se tivermos que sobreviver e superar esta terrível crise de fé na Igreja Católica do pós-Vaticano II, temos que manter o nosso intelecto e vontade concentrados na eternidade. Não podemos perder a esperança quando, a partir de uma perspectiva mundana, tudo parece perdido. Jesus Cristo promete “o reino dos céus” àqueles que enfrentam a perseguição, e “uma grande recompensa nos céus” àqueles que sofrem por amor do seu nome. (Mt 5:10-12) A meta final é o céu! Como São Paulo, precisamos perseguir em direção ao alvo final (Fil 3:14) e nunca cessar de “buscar as coisas que estão no alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus.” (Col 3:1)



Nenhum comentário:

Postar um comentário