Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral - AS GRANDES MARAVILHAS DA RECTIDÃO MORAL SOBRENATURAL

Escutemos São Paulo numa passagem da sua Carta aos Filipenses:
«Todas aquelas coisas que constituíam para mim ganho, reputei-as prejuízo,
comparando-as com Cristo. De facto, tudo reputo prejuízo, comparando-o com este bem altíssimo, que é o conhecimento de Jesus Cristo, o meu Senhor. Por Ele tudo sacrifiquei, e tudo reputo imundície, para ganhar a Cristo e para n’Ele me encontrar, não com a minha justiça, que é a da Lei, mas sim com a Justiça que é a da Fé em Jesus Cristo – justiça que vem de Deus e se apoia na Fé. É assim que eu O conhecerei, a Ele, e ao poder da Sua Ressureição; é assim que eu participarei nos Seus sofrimentos, assemelhando-me a Ele na Sua morte, na Esperança de, se possível, alcançar a Ressureição de entre os mortos. Não quer isto dizer que eu já tenha conseguido o prémio, ou que já tenha chegado à perfeição; prossigo todavia no meu caminho, a fim de o atingir, se possível, uma vez que já fui atingido pelo próprio Jesus Cristo. Não penso, porém, irmãos, que já O tenha para sempre alcançado. O que faço é apenas isto: esquecendo o que está para trás, e lançando-me, decidida e completamente, na prossecução do que está para a frente, corro direito ao fim, para alcançar o prémio a que Deus me chamou do Alto, em Jesus Cristo, Nosso Senhor.» (Fil 3, 7-14)

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ku Klux Klan

Ku Klux Klan (também conhecida como KKK) é o nome de várias organizações racistas dos Estados Unidos que apoiam a supremacia branca e o protestantismo (padrão conhecido também como WASP*) em detrimento de outras religiões. A KKK, em seu período mais forte, foi localizada principalmente na região sul dos Estados Unidos, em estados como Texas e Mississipi.
História
Publicação do jornal The Good Citizenem
 julho de 1926.

A primeira Ku Klux Klan na verdade foi fundada pelo general Nathan Bedford Forrest da cidade de Pulaski, Tennessee, em 1865, após o final da  Guerra Civil Americana. Seu objetivo era impedir a integração social dos negros recém-libertados, como por exemplo, adquirir terras, ter direitos concedidos aos outros cidadãos, como votar. O nome, cujo registro mais antigo é de 1867, parece derivar da palavra grega kuklos, que significa "círculo", "anel", e da palavra inglesa clan (clã) escrita com k. Devido aos métodos violentos da KKK, há a hipótese de o nome ter-se inspirado no som feito quando se coloca um rifle pronto para atirar. Em 1872 o grupo foi reconhecido como uma entidade terrorista e foi banida dos Estados Unidos.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Estado imbecil do liberalismo

“O conceito da liberdade ilimitada e arbitrária, e o conceito agnóstico do mundo inacessível ao entendimento humano, aonde se relegam as verdades religiosas, produziram como aplicação política um monstro singular que se chama Estado neutro. A neutralidade do Estado em matéria religiosa! Em uma sociedade dividida em crenças, quer se refiram à ordem natural ou à sobrenatural, o Estado não pode ter mais que três posições e adotar três atitudes: pode representar a maioria das crenças dessa sociedade, pode representar um fragmento, ainda que seja a maioria delas, ou pode tentar a representação daquilo em que coincidam todos.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

“NÃO SE BRINCA COM DEUS” - PE. PINAUD: A ERUPÇÃO DA MONTANHA PELÉE

Publicamos um escrito do padre Nicolas Pinaud, sobre a erupção do vulcão do Monte Pelée, na Martinica, um departamento ultramarino insular francês no Caribe. A antiga capital, São Pedro (Saint-Pierre), ficou mundialmente famosa após a grande erupção vulcânica de 1902, no Monte Pelée, e que causou entre 30.000 e 40.000 mortos. A expulsão de cinzas vulcânicas com temperaturas de cerca de 300ºC, seguidas das correntes de lava atingindo uma temperatura de 1000ºC, cobriram e destruíram a cidade de São Pedro, ao longo de 20km, num período de 3 minutos. Para se ter uma ideia da força deste vulcão é de salientar que conseguiu expelir pedras do tamanho de uma casa.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa - Têm os judeus uma leitura autêntica da Sagrada Escritura?

O falso ecumenismo hoje reinante e a ideologia maçônica do diálogo inter-religioso que grassa até nas mais obscuras paróquias das regiões mais recônditas geraram uma ilusão entre os católicos sem formação doutrinária: os judeus de hoje, apesar de não aceitarem Nosso Senhor Jesus Cristo como Messias, são “irmãos mais velhos dos cristãos” e têm uma leitura autêntica da Bíblia.
Ora, nada mais falso do que esta idéia, infelizmente promovida e divulgada até por quem tem o dever de ensinar a verdade.
Oferecemos abaixo algumas provas tiradas da Sagrada Escritura e da Tradição, a fim de esclarecer assunto tão importante. Não nos move nenhum preconceito ou ódio racial mas a caridade e o amor à verdade, tão persuadidos estamos de que o povo judeu tem o direito de conhecer a doutrina sagrada e, assim, ser acolhido na Nova e Eterna Aliança, fundada no Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Um poema a Batina

(Catorze) moços, no ermo, abandonando o mundo
- sublimações da vida, em ímpeto fecundo-
Vestiram a BATINA – a farda preta, que ora
se diz negror da noite, e que ora é dita aurora…
Aurora contra a qual a sanha grita: apague!
- Objeto vil de vaia, erguido pouso de águia.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

FÁTIMA E O TESTEMUNHO EXPLÍCITO DA ESPERANÇA DE UM PAPA CATÓLICO


ARAI DANIELE

Sobre a realidade da situação de imensa ruína no mundo atual só pode duvidar quem despreza a esfera espiritual. Esta precipitou na desordem mundial do século XX e hoje se alastra pelo mundo, coberta pelo fictício progresso material dos países opulentos.
Tomemos por referência o ano 1917 e nos deixemos iluminar pelas luzes de Fátima.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Santo Afonso Maria de Ligório - Fim do homem

Deum time, et mandata eius observa: hoc est enim omnis homo — “Teme a Deus e observa os seus mandamentos; porque isto é o tudo do homem” (Eccles. 12, 13).

Sumário. Não temos nascido, nem devemos viver para gozarmos, para nos fazermos ricos e potentes, senão unicamente para amarmos a Deus e nos salvarmos para sempre. Todavia, este grande fim da nossa existência é o mais descuidado pelos homens, que em tudo pensam exceto na salvação da alma. Nós ao menos não sejamos tão insensatos e consideremos seriamente que tudo que se faz, se diz ou se pensa contra a vontade de Deus, é perdido e perdido para sempre.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Santo Afonso Maria de Ligório - Hei de morrer um dia

Statutum est hominibus semel mori; post hoc autem iudicium — “Está decretado que os homens morram uma só vez, e que depois venha o juízo” (Hebr. 9, 27).

Sumário. É utilíssimo para a salvação eterna dizermos muitas vezes conosco: “Hei de morrer um dia”; e entretanto escolhermos nos negócios da vida o que na hora da morte quiséramos ter feito. Com efeito, meu irmão: nesta terra um vive mais tempo, outro menos; mas mais cedo ou mais tarde, para cada um chegará o fim e então nada nos consolará senão o havermos amado Jesus Cristo e o termos padecido por seu amor e com paciência as dificuldade da vida presente.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

As Cruzadas

Os cruzados e a cidade santa de Jerusalém

Ó Jerusalém! o amor de minha alma, a alma de meus pensamentos e de meus desejos, os desejos de meu coração, o coração de minhas afeições e as afeições de minha vida, ai de mim! sois vós que eu procuro.
P. Boucher, peregrino nos lugares santos.

Jerusalém, a mais célebre e sem dúvida a mais misteriosa das cidades que brilharam sobre a terra, era, para os hebreus, o que Roma é para nós: o centro augusto de sua nacionalidade religiosa e o ponto rumo ao qual se voltavam seus corações para orar.

Todo filho de Israel deveria viajar para a cidade santa, e todos aqueles que podiam, iam lá celebrar todos os anos a festa da Páscoa. Eis aí, portanto, a mais ilustre e mais antiga peregrinação.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Roberto de Mattei: Recorda-nos Pio XII: "Se Pedro tem as chaves do céu, Maria tem as chaves do coração de Deus"

Confiando 2014 a Maria, Rainha da História


(Roberto de Mattei) Quando amanheceu o dia 1º de janeiro de 1914, a Europa se encontrava imersa na opulência tranquila da Belle époque e ainda confiava no radiante progresso da humanidade. O século XX tinha se iniciado na presunção ingênua de que havia deixado definitivamente para trás os males e os erros que afligem os homens depois do pecado original. Quem poderia imaginar que o ano de 1914 iria inaugurar uma era de morte e destruição em escala global?
No entanto, após o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando da Áustria, no dia 28 de junho, menos de uma semana depois a Europa imergiu em uma terrível guerra. De

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

DESSA UNIÃO ADÚLTERA SÓ PODE PROVIR BASTARDOS


Apresentamos abaixo a tradução da homilia histórica proferida por Dom Marcel Lefebvre em Lille, França, no dia 29 de agosto de 1976. A tradução é susceptível de correções, por isso, prezado leitor, ao encontrar qualquer erro, pedimos encarecidamente que no-lo informe.

*****
DOM LEFEBVRE
Meus queridos amigos, meus queridos confrades, meus queridos irmãos, 
Antes de lhes dirigir algumas palavras de exortação, gostaria de dissipar uns mal-entendidos, inicialmente acerca dessa reunião em si.
Vocês podem ver, pela simplicidade desta cerimônia, que não tínhamos preparado uma cerimônia que teria reunido uma multidão como a que se encontra nesta sala. Tínhamos pensado que iríamos celebrar a santa missa do dia 29 de agosto, conforme combinado, entre algumas centenas de fiéis da região de Lille, assim como faço frequentemente na França, na Europa e mesmo na América, sem problemas. E eis que de repente, essa data de 29 de agosto se tornou por meio da imprensa, rádio, televisão, como uma espécie de manifestação que se assemelharia, dizem, a um desafio. E bem, não! essa manifestação não é um desafio. Essa manifestação foi desejada por vocês, queridos fiéis, queridos irmãos, que vieram de longe. Por quê? Para

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

São Gregório Magno - Regula Pastoralis XIX

Que o pastor não proponha a agradar aos homens com seu zelo, mas empenhe naquilo que a eles pode agradar.

Em tudo isso, faz necessário ser possuído pelo enorme desejo de agradar aos homens: quando se dedica em aprofundar as realidades interiores, quando provê com sabedoria às necessidades exteriores, ele não buscará mais o amor dos fiéis do que a verdade; quando ele aparece estranho ao mundo, sustentado por suas boas obras, que o amor próprio não o torne estranho ao seu Criador. É inimigo do Salvador aquele que, por causa de suas boas obras, busca ser amado pela Igreja no Seu lugar. Ele é culpado de adultério, como aquele servo que, a mando ir pelo esposo a esposa para levar-lhe

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

G. K. Chesterton - As festas e o ascetas

Traduzido por Antonio Emilio Angueth de Araujo
Capítulo do livro The Thing (A Coisa), publicado em 1929


Nota do blog: Chesterton nos dá uma aula de apologia católica, tratando de um dos assuntos mais interessantes do catolicismo: a alegria cristã e a necessária e pemanente prática da penitência e da mortificação como caminho de nossa santificação. É assunto ligado à teologia ascética e mística, tratada amplamente por Pe. Tanquerey em seu Tratado de Teologia Ascética e Mística. Aqui Chesterton mostra como se pode falar de assuntos complicadíssimos de forma clara e simples, mesmo quando somos confrontados por pagãos altamente ignorantes.

domingo, 12 de janeiro de 2014

“Todos os reis hão de adorá-lo, hão de servi-lo todas as nações”. (Salmos 71, 11)


“Em fevereiro de 1685, o Rei Carlos II, da Espanha, conduziu um numeroso grupo de cortesões e plebeus em procissão real para fora da cidade, para o que chamaríamos de um piquenique real. Quando estavam saindo da cidade, o cortejo encontrou um padre que cruzava a mesma estrada levando o Santíssimo Sacramento a um pobre jardineiro moribundo. O sacerdote estava apenas acompanhado de um acólito, que segurava uma vela. Quando o rei descobriu que o sacerdote estava levando o Santíssimo Sacramento, ele parou a carruagem e pôs-se de joelhos para adorar Cristo na Eucaristia. Então, muito respeitosamente, o rei convidou o sacerdote a entrar na carruagem real e sentar-se em seu lugar junto com o acólito. Fechando a porta com os novos ocupantes dentro, o rei, então, tomou as rédeas da carruagem com suas próprias mãos e conduziu os cavalos a pé por toda a rua, que era longa e lamacenta.

Ao chegarem à casa do pobre jardineiro, o rei abriu a porta e ajudou o sacerdote a sair da carruagem. Depois de ajoelhar-se novamente em atitude de adoração, levantou-se e com a cabeça descoberta e acompanhou o padre até o interior da pequena cabana. Durante toda a cerimônia que se seguiu, o rei permaneceu em profunda adoração. Depois que o moribundo recebeu o Santíssimo Sacramento, o rei falou-lhe de maneira muito gentil e deixou-lhe uma quantia em dinheiro. Prometeu também que daria um dote a sua filha única, que estava prestes a enfrentar a orfandade. Em seguida, o rei levou o sacerdote de volta à igreja de onde viera. Finalmente, este pôde persuadir o rei a não caminhar a pé pela rua novamente, mas, como último ato de homenagem ao Santíssimo Sacramento, o monarca preferiu viajar em uma carruagem separada atrás daquela que transportava o sacerdote. Então, ao chegarem ao seu destino, o rei acompanhou o sacerdote até o interior da igreja e recebeu a bênção habitualmente dada aos que assistem à recepção dos sacramentos aos enfermos. Enquanto tudo isso acontecia, a enorme procissão de nobres e pessoas comuns havia crescido imensamente, e muito se comentou a respeito da devoção do rei.”



Fonte: “In the Presence of Our Lord” do Pe. Benedict J. Groeschel, C.F.R.
Tradução: Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com


quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Gustavo Corção - "Novo Pentecostes"

É a última espetacular novidade religiosa que se espalha com grande sucesso no mundo inteiro. Num recorte recente de "Le Monde" lemos a notícia desse movimento cujo sucesso se contrapõe, na pena de Henri Fesquet, "ao declínio das grandes Igrejas" mais ou menos institucionalizadas. Esse movimento de origem protestante, nascido antes do século, cresceu agora rapidamente. O número de "Assembléias de Deus" que era de 264 em 1963 ultrapassa o número de 400 em 1972. Calcula-se em dez milhões o número de praticantes no mundo inteiro", diz "Le Monde"; e como era de esperar anuncia que o movimento já entusiasmou o mundo católico onde ganha o nome de "renovação carismática" e até reclama o mais ousado título de "novo pentecostes".


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Quid est veritas?

Plinio Corrêa de Oliveira 
O "Legionário" n.º 64, 24 de agosto de 1930

Certos estudiosos das coisas da pré-história presumem poder reconstituir, baseando-se em um simples osso, o esqueleto de animais mortos há muitos séculos.
Não sei se as tentativas de reconstituição de corpos de animais antediluvianos, tendo por fundamento tão-somente um osso, são aceitas pelos cientistas mais ponderados, e duvido muito de que estas ousadas tentativas tenham grande número de admiradores.
No entanto, somos freqüentemente tentados a imitar os pesquisadores das coisas da pré-história, no terreno psicológico. De fato, temos muitas vezes a tentação de reconstituir a nossos olhos toda uma mentalidade, baseando-nos simplesmente em uma frase, um dito.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa - Saudades de Gustavo Corção

Anápolis, 2 de abril de 2008
Este ano comemoramos o trigésimo aniversário da morte de Gustavo Corção, ocorrida aos 6 de julho de 1978.
Não me proponho analisar aqui o pensamento filosófico de Gustavo Corção nem sua evolução ao longo dos anos, impulsionada pela sua reflexão perspicaz sobre o crescimento da crise da Igreja e do mundo moderno, bem como por sua honestidade intelectual e humildade em reconhecer seus equívocos na apreciação das coisas e dos homens. Proponho-me simplesmente dar meu depoimento sobre a influência benéfica de um grande escritor católico sobre uma ampla parcela da sociedade brasileira.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Tradição e Diferenças entre a Bíblia Católica e a Protestante

Refutando os erros protestantes: os deuterocanônicos, a Tradição, condenação ao Livre Exame etc.
Diferenças entre a Bíblia Católica e a protestante
Os livros do Antigo Testamento são 45 (depende um pouco da divisão que se faça), reconhecidos autênticos pela Igreja católica. Estes livros foram quase todos escritos em hebraico; e uns em língua caldaica e em grego.
Convém fazer algumas distinções primeiras quanto aos nomes:
1)  Cânon, do grego Kanón = regra, medida e catálogo;
2) Canônico = livro catalogado – o que significa que também é inspirado por Deus;
3) Protocanônico = livro catalogado próton, isto é, em primeiro lugar ou sempre catalogado;

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Quais são mais felizes: os “avançados” ou os conservadores?

Leo Daniele
Como todos sabem, os americanos dividem suas preferências entre duas forças, os republicanos (conservadores), e os democratas (moderadamente esquerdistas). Arthur C. Brooks, conhecido jornalista do New York Times, o mais prestigioso jornal americano, lança uma pergunta bastante inusual e um pouco surpreendente: qual dos dois públicos é mais feliz? O conservador ou o moderadamente esquerdista?
A resposta poderá parecer simples, afirma o autor: “Afinal, existe toda uma literatura acadêmica no campo das ciências sociais que mostra os conservadores como indivíduos autoritários, dogmáticos, incapazes de tolerar a ambiguidade, preocupados com as ameaças e os prejuízos, com baixa autoestima e pouco à vontade com pensamentos complexos”.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

O que é o Protestantismo, suas incoerências e o falso conceito de ecumenismo

Igualitarismo: o problema de fundo do protestantismo.
Argumentos retirados de vários livros, principalmente do Pe. Júlio Maria (1949)
1) O igualitarismo e a dificuldade de convencer os “intérpretes” da Bíblia
Todos os protestantes, sem exceção, atribuem à si próprios o direito de ‘interpretar’ a Bíblia. Acreditam ter uma iluminação ‘direta’ do Espírito Santo, sem intermediários, ou seja, sem a Igreja.
Em todos os debates que a Frente Universitária Lepanto travou com protestantes ficou patente que o objetivo deles não era conhecer as respostas católicas, mas combater à Igreja de Cristo, à Maria Santíssima, aos Santos etc.
Alguns apenas se limitavam a transcrever trechos da Bíblia, sem embasamento doutrinário e sem raciocínio lógico, como se os trechos fossem ‘amuletos’ mágicos.