Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 31 de março de 2014

SALVE A REDENTORA! VIVA 31 DE MARÇO DE 1964!!!




O intrépido General Olympio Mourão Filho que
 liderou as primeiras tropas do Exercito Brasileiro,
contra a canalha comunista do Brasil
Tanques do verdadeiro EXERCITO BRASILEIRO
em 1964 defendendo a DEMOCRACIA e
salvando o Brasil do comunismo


O grande Heroi Nacional Gen. Humberto de Alencar Castelo Branco que se tornou o redentor do Brasil em 1964 livrando o povo brasileiro de uma ditadura comunista , a FIBRA destes MILITARES de ontem não existe mais hoje nas desmoralizadas e corrompidas FA do que era o Brasil...hoje um pasto de bois explorados pela horda comunista a serviço da Nova Ordem Mundial comunista. 
A Revolução para livrar o Brasil do comunismo em 31 de março de 1964 foi um ataque preliminar vitorioso, fato histórico, inconteste e sobejamente comprovado pela débâcle da União Soviética, matriz do regime comunista que mais semeou a morte, comprou mentes e traidores, ensinou o terrorismo, explodiu e metralhou inocentes, prostrou exangues oponentes aos milhões de milhares, fuzilou e enforcou, gerou apátridas, em nome da utopia, nada a ver com os ideais da Revolução francesa de liberdade, igualdade e fraternidade. Palavras, lema e aspirações intrínsecas à natureza do ser humano.


A Revolução de 1964 com 133 mortos e 276 feridos, números que ilustram a clarividência de líderes civis e militares e principalmente de comandantes cujo aço das suas espadas é o símbolo do poder a serviço do Estado e não para saciar o próprio orgulho, vaidade, bolso, e pior, a subserviência, fechando os olhos ao descaminho de governantes — chefes de barro, corruptos, aprendizes de ditador — se rebaixando para catar migalhas que ao chão se espalham se esquivando da luz que do alto lhes atinge a alma e fere o coração pela injustiça que ajudam a praticar.


Tal incomparável Revolução não se iguala às atrocidades havidas na matriz do comunismo onde foi instruído Luís Carlos Prestes, executor juntamente com Olga Benário, sob as ordens da União Soviética, da primeira fracassada investida contra a liberdade, na malfadada Intentona Comunista de 1935. Brasileiros, vítimas de “colegas” de farda e das armas que a Nação lhes confiara. Solo pátrio que juraram defender ensanguentado por suas mãos criminosas contracenado plenos de alegria na rendição.


A lealdade a Moscou era o primeiro mandamento Prestes a demonstrou em discurso no Senado. Esse “admirável modelo de gestão do estado”, segundo autores, produziu um número de mortos que atinge aproximadamente 23 milhões, sendo executados, 17,5 por fome e privações, cinco milhões deportados, 1,7 milhão prisioneiros civis, um milhão. Outros estimam em até vinte milhões. Inegável é a presença do Exercito soviético massacrando os anseios de liberdade em nome da ditadura do partido único.


Na Hungria, estima-se que 600 mil foram condenados entre 1948 e 1953 em janeiro de 1957, os húngaros contabilizavam 12500 mortos e 20 mil feridos nas tentativas de se livrarem do tacão vermelho. Em Cuba, o regime comunista de Fidel Castro, ainda ídolo de governantes brasileiros, fuzilou entre 70 mil e 100 mil pessoas. O líder comunista do Camboja, Pol Pot, eliminou 1,7 milhão de opositores. À luz da verdade, não há comissão que possa transformar os fatos, a menos que faça uso da mentira e dos efeitos especiais.


A revolução de 1964 não foi um ato de indisciplina, foi um ato de coragem, sob o manto da responsabilidade do Poder Militar a serviço da Nação brasileira. Não é indisciplina quando o segmento militar emite a sua opinião sobre questões nacionais não é uma estrutura invertebrada. Transgressão da disciplina é componente da hierarquia para manter o conjunto harmônico e, conscientemente, é treinamento para as ações de combate. Não se refere à cúpula do cidadão fardado, designado constitucionalmente de militar e diplomado nas universidades militares, que tem obrigação de esclarecer à Nação as suas preocupações.


As ordens de governo devem ser cumpridas, mas as absurdas podem ou não, dependendo do ser de cada um. Honra e gloria aos que lutaram, arriscaram a própria vida e a de familiares, aos que foram feridos, mortos e mutilados, defendendo a democracia, livrando os brasileiros da barbárie vermelha, da foice e do martelo.


Marco histórico que preservou o nosso povo de tanto morticínio ficou registrado na madrugada do dia 31 de março, quando as forças do General Olimpio Mourão Filho deixaram Juiz de Fora, sede da 4ª Região Militar, indo em direção ao Rio de Janeiro, como a reviver o inigualável Duque de Caxias, na ponte de Itororó: - “Sigam-me os que forem brasileiros.”


O Brasil o seguiu. Salvou-nos de um muro separatista como o de Berlin, manteve a integridade territorial herdada, sem essa de Brasil Oriental, Brasil Ocidental, do Norte, do Sul como em vários países, Coréia, Vietnam, China, Alemanha, e, graças a Deus, ao povo brasileiro e às Forças Armadas, sem territórios liberados, ações terroristas e de guerrilha, ainda sofrimento dos colombianos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, e, livrando muita gente “boa” dos “trinta dinheiros” e da política, hoje seus aliados, do “paredón” tipo cubano, missão dos comunistas que se engajaram na luta armada, aprendizes deslumbrados e retrogrados de Che Guevara.



Nenhum comentário:

Postar um comentário