Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Alberto Carlos Rosa Ferreira das Neves Cabral - A SABEDORIA DA CRUZ


    O primeiro grande sinal do fim iminente deste pobre mundo será precisamente a Cruz [de Jesus Cristo Rei] que resplandecerá no Céu, dia e noite, em qualquer lugar da Terra. Nessa altura ainda será possível fazer penitência.
julgamento de Jesus


EVANGELHO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO JOÃO:
«Naquele tempo, Pilatos perguntou a Jesus: – És tu o Rei dos Judeus? 
Jesus respondeu: – Dizes isso de ti mesmo, ou foram outros que to disseram de Mim? Pilatos replicou: Acaso sou eu Judeu? Os da Tua Nação, e os sacerdotes entregaram-Te nas minhas mãos! Que fizeste?
Jesus observou: – O Meu Reino não é deste mundo; se o Meu Reino fosse deste mundo, certamente que os Meus servidores haviam de lutar para Eu não ser entregue aos Judeus. Não! O Meu Reino não é cá da Terra.
Pilatos então insistiu: – Logo, Tu és Rei?
Jesus respondeu: – Dizes bem, eu sou Rei! E se nasci e vim ao mundo, foi para dar testemunho da Verdade, QUEM É PELA VERDADE ESCUTA A MINHA VOZ.»  Jo 18, 33-37
EVANGELHO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS:
«Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: – Nada receeis, pequenino rebanho, porque foi do agrado do vosso Pai dar-vos o Seu Reino; vendei o que possuís, e dai-o em esmola, provei-vos de bolsas que não envelhecem, e de um tesouro inexaurível no Céu, onde os ladrões não chegam e onde a traça não corrói, porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará igualmente o vosso coração.»  Lc 12, 32-34
Nosso Senhor Jesus Cristo é Eterno. O Verbo fez-Se Homem no tempo, mas a Pessoa Divina ao revestir-Se duma Natureza Humana não tomou algo que lhe fosse acidental, não, Nosso Senhor Jesus Cristo é SUBSTANCIALMENTE VERDADEIRO DEUS, E SUBSTANCIALMENTE VERDADEIRO HOMEM. A decisão Divina da Encarnação é Eterna, como Eterno é o Acto Divino, comum às Três Pessoas, de Encarnação activa. ONTOLÒGICAMENTE, a Encarnação passiva foi temporal, todavia, TRANSCENDENTALMENTE, a Encarnação constitui uma realidade Eterna. A Santíssima Trindade É (não existe, É) NA ETERNIDADE, a qual supera infinitamente o tempo como forma de duração; durar é persistir no Ser; o tempo é dispersão do ente numa duração sucessiva, numérica, corruptível, finita; a Eternidade é a posse total do ser e do tempo, é um presente perpétuo, um acto qualitativo infinito.
É perfeitamente contraditório um “tempo infinito,”tudo o que é numerável e sucessivo é necessàriamente finito. O além-túmulo participa formalmente da Eternidade, quer na forma positiva, quer na forma negativa; antes do Juízo final, o qual será instantâneo, a Eternidade possuirá uma comensurabilidade EXTRÍNSECA com o tempo do mundo, mas o mais provável é que a uma duração psicológica determinada do tempo do mundo corresponda, por exemplo, outra muito maior do Purgatório.
Como acabámos de verificar a CRUZ É ETERNA, por isso o Antigo Testamento tem de ser lido à luz do Novo Testamento.
Na Cruz, Nosso Senhor Jesus Cristo satisfez condignamente a Deus pelos pecados de todos os homens. Sem a Cruz, todos os homens cairíam irrevogàvelmente no Inferno, pois Adão e Eva, constituídos chefes do Género Humano, além dos Dons preternaturais, receberam o Dom Sobrenatural da Graça de Deus, não da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo; ao perderem a Graça de Deus, perderam-na para todos os seus descendentes, os quais só a puderam recuperar pelos méritos Infinitos da Cruz; a própria Graça da Penitência de Adão e Eva constituiu já uma Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na presente e única Ordem Sobrenatural, totalmente gratuita e totalmente obrigatória, ninguém se pode salvar sem a Graça.
A Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo deve constituir a causa meritória, a causa exemplar, a causa eficiente, e a causa final de toda a existência, terrestre e celeste, do baptizado: é CAUSA MERITÓRIA, na medida já referida em que todas as Graças da Salvação nos são dispensadas em atenção aos méritos infinitos de Nosso Senhor Jesus Cristo, não apenas no Seu Sacrifício supremo, mas em atenção a toda a sua vida penitente e até mesmo no primeiro Sangue que verteu quando da Sua circuncisão; CAUSA EXEMPLAR, porque a vida da Cabeça deve NECESSÀRIAMENTE servir de exemplo à vida dos membros do Corpo Místico; é do Calvário que se alcança o Tabor, e as lutas, perseguições e calúnias que vitimaram física e moralmente Nosso Senhor, duma forma ou doutra, acompanharão igualmente os seus verdadeiros discípulos; CAUSA EFICIENTE, na medida em que o Santo Sacrifício da Missa, no Qual se renova incruentamente o Sacrifício da Cruz, constitui o Sol Sobrenatural deste nosso pobre mundo, d’Ele irradiando maravilhosas torrentes de Graça e de Verdade; O Santo Sacrifício da Missa é o mesmo que o da Cruz, LOGO É ETERNO; a adorável presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo entre nós constitui o primeiro fruto do Augusto Sacrifício da Missa, verdadeiro pára-raios da ira Divina, consolação das almas contemplativas, e farol luminoso na hora da morte; CAUSA FINAL, na exacta medida em que nós fomos criados por Deus, e para Deus devemos voltar, no Céu contemplaremos na Essência Divina o Mistério da Cruz na sua realidade cruenta e incruenta, na plenitude consumada da Criação remida e glorificada; no Céu, o Mistério da Cruz não será celebrado, será contemplado, Eterna e Imutàvelmente.
A Verdade da Cruz deve ilustrar permanentemente a nossa vida, devemos por isso, muitas vezes ao dia, rezar, SENTIDAMENTE, o acto de aceitação da morte de São Pio X, meditarmos na vida e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, identificando-nos o mais possível com os Soberanos afectos de Jesus no Calvário, unido a Sua Mãe, numa Celeste comunhão de Inteligências e de Vontades.
A sombra da Cruz pode por vezes intimidar-nos, todavia a participação de toda a nossa alma, inteligência e vontade, na Natureza Divina, constituirá para nós fonte de inaudita felicidade Sobrenatural, não olvidemos nunca que pela Graça tornamo-nos acidentalmente n’Aquilo que Deus É essencialmente. Saberemos então como são diminutos os bens deste mundo, pois que um só aumento de Graça Sobrenatural no fiel Católico vale infinitamente mais que todo o Universo natural, embora este também reflicta, à sua maneira, as perfeições infinitas de Deus Uno e Trino.
A Cruz constitui a garantia absoluta de que aquilo que é, é, e sê-lo-á Eternamente, e de que aquilo que não é, não é, também Eternamente. Onde entra o relativismo, imediatamente é expulsa a Cruz. O maldito concílio de Roncalli e Montini execrou a Cruz em todo o seu alcance, substituindo-a pela máxima: GOZA A ÚNICA VIDA QUE TENS, E QUANDO NÃO PUDERES GOZAR MAIS – EUTANÁSIA.
Evidentemente que o maldito concílio  não operou de forma crua, não, processou tudo SUBLIMINALMENTE, pois que os heresiarcas sabiam muito bem de que quase não existem defesas para aquilo que não é formalmente advertido pela consciência enquanto tal.
Uma “Igreja” sem Cruz só pode ser a Igreja de satanás, uma doutrina sem Cruz só pode ser um catecismo anti-Cristo.
Satanás e seus anjos odiaram a Cruz no próprio instante em que se revoltaram contra Deus; por isso a melhor arma contra os ataques do demónio são precisamente a água benta e a santa Cruz de Jesus.
O primeiro grande sinal do fim iminente deste pobre mundo será precisamente a Cruz que resplandecerá no Céu, dia e noite, em qualquer lugar da Terra. Nessa altura ainda será possível fazer penitência.
Nesse momento a ciência anti-Cristo calar-se-á definitivamente, pois que a única explicação para a tremendíssima visão da Cruz RESIDIRÁ SÓMENTE NA SABEDORIA DA CRUZ, NA SABEDORIA DO VERBO ENCARNADO, ELE MESMO EXPRESSÃO INFINITAMENTE FECUNDA DO INTELECTO DIVINO.
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Lisboa, 14 de Abril de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário