Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Os mártires coptas e o Angelus das 12 horas

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa
Quem ainda guarda íntegra a fé católica não pode ficar indiferente ao brutal suplício dos cristãos coptas na Líbia por obra dos fanáticos partidários do Estado Islâmico. Não se trata de deplorar a falta de tolerância ou de respeito “aos direitos humanos” ou a falta de consciência dos valores da democracia pluralista, que ainda não penetrou em algumas regiões do planeta.
Tampouco cabe dizer que ocorreu um revivescimento de instintos primitivos da humanidade que pareciam completamente superados. Tampouco cabe dizer que o diálogo inter-religioso ainda não produzir seus frutos esperados e é preciso confiar que o tal diálogo, iniciado pelo Vaticano II, ainda há de brindar a humanidade com dias de paz por meio da confraternização de todas as religiões Não. Não se trata disso. Os defensores desse discurso humanista da ONU e da nova religião do homem é que devem ser hoje postos no banco dos réus como culpados e responsáveis por tal monstruosidade. Confiam no homem. E a Sagrada Escritura diz: “Maldito o homem que confia no homem.”
Diante do ocorrido em Trípoli, a atitude do católico deve ser outra. Por um lado, deve louvar a Deus por ainda dispensar, em tempos de apostasia, a seus filhos a graça do martírio.  E por outro lado, deve deplorar a cegueira dos nossos governantes, das nossas lideranças religiosas e políticas, que não se mostram à altura da gravidade da hora. Alguns, mesmo diante da morte dos coptas e do sofrimento dos seus parentes ameaçados, continuam pensando apenas nos seus interesses econômicos localizados na Líbia. Outros reagem imbecilmente empregando o discurso do politicamente correto.
Quando, no fim da Idade Média, ante a queda de Constantinopla em 23 de maio de 1453, o Papa Calixto III e São João de Capistrano pregaram uma cruzada contra o sultão Maomé II que investia contra Belgrado, não encontraram, infelizmente, entre os príncipes cristão uma boa resposta ao apelo da cristandade que então esboroava. Somente a Dieta da Hungria respondeu com galhardia ao chamamento do Papa, encarregando o príncipe János Hunyadi de recrutar as forças necessárias para empreender a cruzada contra os turcos infiéis e insolentes. Houve então a triunfal batalha de Belgrado aos 22 de julho de 1456. E para perpetuar a memória de tão gloriosa gesta contra os turcos o Papa ordenou que doravante se soasse o Angelus em todas as igrejas; mas em sua origem o Angelus do meio dia tinha sido previsto pelo papa para chamar os católicos à cruzada. (Cf. Henry Bogdan, Histoire des Habsbourg – des origines à nos jours. Paris, 2005)
A propósito do apelo do Papa Calixto III e da pregação de São João de Capistrano, cumpre notar que, embora a mentalidade daqueles tempos já não se distinguisse pela nobreza do ideal das cruzadas dos séculos anteriores e os príncipes estivessem mais ocupados com suas ambições políticas e temporais, o Papa então cumpriu o seu dever e não foi em vão, porquanto lhe correspondeu o herói János Hunyadi.
Hoje, não temos ninguém. Nem Calixto III. Nem São João de Capistrano. Nem János Hunyadi. Nem os Habsburgos. Temos a democracia e os democratas. Temos Obama e outros inomináveis.
Em semelhante desolação, rezemos o Angelus do meio dia em honra dos coptas degolados por amor de Cristo na Líbia. Roguemos a Rainha das Vitórias que esmague todas as forças da democracia moderna, a nova religião da humanidade insuflada pela judeu-maçonaria, que remova da face da terra o laicismo, o liberalismo, e humilhe com suprema humilhação todos os inimigos da Santa Igreja. Ut inimicos Sanctae Ecclesiae humiliare digneris, te rogamus. Vindica sanguinem Saanctorum tuorum, qui effusus est. Ó Deus, os gentios entraram no que era vosso; poluíram o vosso Santo Templo.
Anápolis, 20 de fevereiro de 2015.

Fonte: Capela Santa Maria das Vitorias - http://santamariadasvitorias.org/os-martires-coptas-e-o-angelus-das-12-horas/ - Publicado em 20/02/2005

Nenhum comentário:

Postar um comentário