Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Sobre os erros do racismo


Sagrada Congregação dos Seminários
e das Universidades
INSTRUÇÃO 
de 13 de abril de 1938
Sobre os erros atuais
(racismo, panteísmo, etc.)
Aos Reitores das Universidades Católicas,
para que os estudem e refutem cientificamente.

sobre os erros do racismo


[(3) Collectanea Mechliniensia, agosto-setembro de 1938, p. 536. / Esta instrução sobre os erros racistas foi enviada aos reitores das Universidades e Seminários católicos. Na França, foi endereçada especialmente a Sua Eminência, o Cardeal Baudrillart, Reitor do Instituto Católico de Paris (Cf. La Croix, de 11 de maio de 1938).]

Roma, 13 de abril de 1938.
EXCELÊNCIA REVERENDÍSSIMA,
Ano passado, na vigília da Natividade de Nosso Senhor, o augusto Pontífice ditosamente reinante, na sua alocução aos Eminentíssimos Cardeais e Prelados da Cúria Romana, falou com pesar da grave perseguição que sevicia, como todos sabem, contra a Igreja Católica.
A principal aflição do Santo Padre, todavia, vem de que, para desculpar tão grave injustiça, se interponham calúnias impudentes e se difundam por toda parte as doutrinas mais perniciosas, falsamente edulcoradas do nome de científicas, com o fito de perverter os espíritos e deles erradicar a verdadeira religião.

Em face dessa situação, a Sagrada Congregação para os Estudos ordena às Universidades e Faculdades católicas que envidem todos os esforços e atividade para defender a verdade contra a invasão dos erros em voga.
Assim, deverão os mestres aplicar-se com todos os seus recursos a tirar da biologia, da história, da filosofia, da apologética, das ciências jurídicas e morais, armas, para refutar com solidez e competência as asserções insustentáveis a seguir:

1. As raças humanas, por suas características naturais e imutáveis, são tão diferentes entre si que a mais ínfima delas dista mais da mais elevada do que da espécie animal mais elevada.
2. Cumpre por todos os meios conservar e cultivar o vigor da raça e a pureza do sangue; tudo o que conduza a esse resultado é, por esse fato mesmo, honesto e permitido.
3. É do sangue, foco das características da raça, que todas as qualidades intelectuais e morais do homem derivam como de sua fonte principal.
4. Objetivo essencial da educação é desenvolver as características da raça e inflamar os espíritos com um amor ardente pela sua própria raça como bem supremo.
5. A religião está sujeita à lei da raça e a ela deve se adaptar.
6. A fonte primeira e regra suprema de toda a ordem jurídica é o instinto racial.
7. Não existe senão o Cosmos ou Universo, o Ser Vivo; todas as coisas, inclusive o homem, nada mais são do que formas variadas, que se desabrocham ao longo das eras, do Universo vivente.
8. Cada homem não existe senão pelo Estado e para o Estado; tudo o que possui, de fato e de direito, deriva unicamente de uma concessão do Estado.
A estas proposições tão perigosas, poder-se-iam ainda facilmente juntar outras.

O Santíssimo Padre, Prefeito desta Sagrada Congregação, dá como certo que vós, Reverendíssimo Senhor, não negligenciareis nada, a fim de que as prescrições contidas nesta carta surtam pleno efeito.
Desincumbindo-me do dever de dela vos dar parte, exprimo-vos meus sentimentos respeitosíssimos, fazendo humilde vênia com a sagrada púrpura.
De vossa Excelência Reverendíssima, devotíssimo servidor in Christo,


ERNESTO RUFFINI,

Secretário.



_____________
REFERÊNCIA:
Sagrada Congregação dos Seminários e das Universidades, Instrução sobre os erros atuais: racismo, panteísmo, etc., aos Reitores das Universidades Católicas, 13 abr. 1938.

Trad. br. em paralelo com o texto em latim e francês. São Paulo, blogue Acies Ordinata, ed. F. Coelho, abr. 2015: http://wp.me/pw2MJ-2wG

Cf. Actes de S. S. Pie XI. Encycliques, Motu Proprio, Brefs, Allocutions, Actes des Dicastères, etc. Texte latin et traduction française. Tome XVIII (Années 1938-1939). Paris: Maison de la Bonne Presse, 1945, p. 86-88. [Nihil Obstat de 1939 / Imprimatur de 1945].

Via: “liberius.net/livres/Actes_de_S._S._Pie_XI_(tome_18)_000001031.pdf”.


CRÍTICAS E CORREÇÕES SÃO BEM-VINDAS:
f.a.coelho@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário