Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Santa Bernadette e a humilhação


Nossa Senhora aponta para um canto da gruta,
para ali cavar e tirar a água.
No século XIX, na gruta de Massabielle, na cidadezinha de Lourdes, Nossa Senhora apareceu a uma camponesa chamada Bernadette Soubirous. 

Ela era filha de um casal extremamente pobre que vivia com dificuldades econômicas: o pai era moleiro e tinha perdido o moinho e não encontrava emprego. 


Era gente do povo reta, de costumes muito bons, mas de educação muito pobre, porque eram trabalhadores manuais e não tinham contato com nada de mais elevado.

Um dia em que Bernadette estava perto de uma gruta muito comum e até usada para lixo em Lourdes, ela ouviu uma voz. 

Ela olhou para a gruta e viu dentro uma senhora de uma beleza admirável. 

Conheceu que era Nossa Senhora em pessoa que estava falando com ela. E ela com toda a simplicidade, começou a falar com Nossa Senhora com mãos postas, na atitude de quem reza. 

Esse costume de rezar com as mãos postas foi abandonado em muitas igrejas, mas é uma atitude muito certa e Santa Bernadette rezou assim.



Aceitando a humilhação com espírito
 sobrenatural, 
Santa Bernadette abriu um torrente
de graças que dura até hoje.
Nossa Senhora deu a ela uma série de explicações a respeito de vários pontos de religião, e depois acabou recomendando que arranhasse a terra ali num canto da gruta que começaria a aparecer água. 

Água havia muita ali perto, para começar no impetuoso rio Gave que havia escavado a gruta na pedra. 

Santa Bernadette foi para o rio e Nossa Senhora deteve-a. E fez um sinal em direção a um canto da gruta.

A água não saiu tão logo assim, e Santa Bernadette teve que insistir. Afinal apareceu alguma humidade que se misturava com a terra solta e fazia uma água barrenta.

Santa Bernadette teve um certo nojo. Nossa Senhora lhe tinha dito de beber e se lavar com essa água. Ela pegava na concha da mão, olhava, jogava fora e voltava a cavoucar.

Até que em fim se armou de coragem e bebeu um pouco. E se lavou o rosto que, obviamente ficou sujo. Houve gente que achou que tinha ficado louca.

Porém, a água foi ficando cada vez mais abundante. De um simples fio passou a ser uma corrente de água limpa, natural, que não parava. E, para surpresa de todo mundo, fazia milagres!



A aceitação tranquila
da humilhação

foi uma condição
para Santa Bernadette
ser uma grande santa
.
No uso dessa água muitas pessoas se curaram e a gruta menosprezada passou a ser um lugar onde Nossa Senhora é muito glorificada.

Nossa Senhora deu a ela uma recomendação complementar que não é fácil de compreender.

Junto àquela água havia um pouco de erva, dessa erva que dá num campo onde ninguém plantou, nem trabalhou, nada, é uma erva que nasceu de uma semente que o vento deixou ali e acabou-se.

Disse que comesse alguma coisa daquela erva quando bebesse a água. A Santa Bernadette, sempre muito humilde, muito dócil, pegava então um pouquinho da erva e comia, e depois falava com Nossa Senhora.

A aceitação tranquila da humilhação – beber água que saía barrenta de onde não devia sair e comer capim como um animalzinho da floresta – foi a condição que pediu Nossa Senhora para a grande santa – imensa santa! – em que depois se transformou a humilde filha de um moleiro falido.

Quantas vezes a humilhação nos pega nas curvas da vida! E a tentação é : “essa não suporto! Como é que pode acontecer para mim? Mais essa?”

Não foi a atitude de Santa Bernadette. Ela aceitou a humilhação enviada por Nossa Senhora e depois aconteceu a maravilha que todos conhecem.

Também nós quando nos surpreende uma humilhação inesperada, até injusta, sem propósito, devemos imitar o exemplo de Santa Bernadette.

Elevarmos os olhos para Nossa Senhora, resignarmo-nos e oferecer o sacrifício da aceitação com a confiança posta nEla.

E se não tivermos força para aceitar o sacrifício que nos impõe essa humilhação?

Rezar a Nossa Senhora de Lourdes, rezar empenhadamente a Santa Bernadette, para imitarmos seu maravilhoso e heroico exemplo.

Santa Bernadette, rogai por nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário