Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Arcebispo refuta ideia tola sobre São Francisco e a Criação


Mons. André-Joseph Léonard, primaz da
Bélgica 
explicou por que não está bem amar
esse espírito franciscano beato
que celebra sem matizes a beleza do
cosmos
”.

Mons. André-Joseph Léonard, arcebispo resignatário de Bruxelas e primaz da Bélgica, fez ressalvas a uma falsa interpretação do espírito de São Francisco de Assis e sua relação com a natureza. O prelado falou em entrevista a Le Vif/L’Express. 

O arcebispo se disse “perplexo” com essa ilação de São Francisco com a natureza, porque “muitos o admiram pelo fato de que ele cantou a beleza da natureza e pregou aos pássaros difundindo uma concepção muito otimista da Criação”.

Mons. Léonard diz que o defeito não está em São Francisco, mas naqueles que tentam manipular sua imagem para passar uma mensagem ambientalista enganosa e profundamente danosa.

“Na realidade, a vida dos homens e dos animais é trágica. A vida animal é uma carnificina, um mata-mata. É muito bonito pregar aos pássaros, mas quando eles veem um verme na terra, eles o devoram. Quando um gato vê um rato, ele não lhe faz coisas muito simpáticas!”, observou.

O arcebispo continuou atraindo a atenção dos leitores para a realidade deste vale de lágrimas.


“‘Bendito sejas nosso irmão vento’, exclama
São Francisco. 
Embora esse vento – comentou
D. Léonard –, 
quando sopra a 300 quilômetros por
hora, é um inimigo”.
Ele agradece a São Francisco por ter louvado em seu cântico o sol, a lua, as estrelas, a água, o fogo, o vento.

“‘Bendito sejas nosso irmão vento’, exclama ele.

“Embora esse vento – prosseguiu o prelado –, quando sopra a 300 quilômetros por hora, não é um irmão muito cômodo. É antes um inimigo.

“Nosso irmão fogo, a gente o aprecia na lareira esquentando a casa, mas não incendiando as florestas. Felizmente São Francisco não abençoou nossos irmãos crocodilos e serpentes! 

Felizmente ele não disse ‘Louvado sejas Tu, Senhor, por todas as tuas criaturas, especialmente pela minha senhora irmã cobra. Tu a tens dotado de músculos poderosos, de um veneno ativo e de uma língua afiada que lhe permite afogar e envenenar sua pequena vítima em questão de minutos!”.
Mons. Léonard esclareceu sua atitude diante da natureza dizendo que ele é um ardoroso defensor dos versículos 18 e seguintes do capítulo VIII da carta de São Paulo aos Romanos. Ali está dito que a Criação, em seu estado atual, ‘foi sujeita à vaidade’ e ‘entregue ao cativeiro da corrupção’.
“Não esqueçamos nunca isso. São Francisco canta a beleza daCriação, embora ela seja terrivelmente cruel. A Criação nos alimenta, mas também nos mata. Ela contém todos os vírus que envenenam nossa vida. Eu não amo esse espírito franciscano beato que celebra sem matizes a beleza do cosmos”, concluiu o douto arcebispo.


Tubarão branco ataca surfista Mick Fannig na
África do Sul. 
“Não esqueçamos nunca que São
Francisco canta a beleza da Criação, 
embora ela
seja terrivelmente cruel. 
A Criação nos alimenta,
mas também nos mata”, lembrou o arcebispo.
Como que confirmando a prudente observação do arcebispo belga, viralizou na internet a filmagem do ataque de dois tubarões brancos ao tricampeão mundial de surfe, o australiano Mick Fanning, que estava disputando uma final na África do Sul.

Na Austrália, o tubarão branco é bem conhecido como especialmente assassino, a ponto do governo sistematizar sua caça em águas territoriais.

Tubarão assassino cuja espécie e protegida multiplica mortes na Austrália

Austrália manda abater tubarões assassinos e ambientalistas fazem algazarra

Porém, militantes ambientalistas do gênero utópico e irracional reprovado por Mons. Léonard promovem manifestações para ‘salvar’ esse feroz habitante do mar.

Mick sobreviveu ao ataque na praia de Jeffrey's Bay dando fortes pontapés no nariz dos predadores assassinos que tentavam mordê-lo. Chegando lanchas de auxílio, os tubarões fugiram sem fazer mal ao surfista, noticiou o jornal argentino Clarin

A final foi suspensa e Mick comemorou o feito fazendo um churrasco para amigos e participantes da competição.

Na falsa ideia da relação de São Francisco com a natureza, ao maltratar os tubarões Mick agiu como inimigo da Criação.

Na ótica correta explicada por Mons. Léonard, o surfista agiu em perfeita consonância com a ordem natural pregada por São Paulo e o grande Santo de Assis. Inclusive quando contribuiu para ‘aquecer o planeta’ com um merecido churrasco!


Fonte: http://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com.br/2015/08/arcebispo-refuta-visao-tola-da-ligacao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário