Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Como Rezar Pelos Nossos Inimigos


“Temos de olhar o passado além da confusa teologia dos últimos 50 anos para ver que a tradição da Igreja Católica, na verdade, tem uma abordagem mais prática e mais misericordiosa para com os inimigos do que uma nova teologia baseada em sentimentos”


Tradução Sensus Fidei:
A Igreja Católica ensinou desde os dias de São Paulo que é dever do Estado usar a pena de morte.
A teoria da “guerra justa” é também uma parte importante do ensinamento moral infalível da Igreja Católica, especialmente quando se formam os líderes de Estado. Mas o post de hoje não é sobre como lidar com inimigos em nível nacional, mas como rezar em nível pessoal. Jesus Cristo disse: “Mas eu vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem.” – Mateus 5:44. Observe que tal mandamento não faz dessa pessoa um não-inimigo! Amai os vossos inimigos pressupõe que você é uma pessoa real o suficiente para realmente ter inimigos reais. Não apenas pseudônimos imaginários da mídia social que quer matá-lo com o aperto de um botão.
Veja você, a mera ideia de se ter um “inimigo” é simplesmente chocante para a mentalidade pós-moderna. Tendemos a colocar a unidade antes da verdade. Então, é estranho que o próprio Jesus tivesse inimigos. É difícil para nós americanos compreender isso, pois geralmente queremos ficar a sós com todos. Isso não é ruim, mas é ruim valorizar a unidade acima da verdade. A realidade de Deus para o nosso planeta é que a unidade flui da verdade. Qualquer um que vive esta realidade metafísica terá alguns inimigos. Ter inimigos é realmente necessário para chegar ao céu, pois precisamos de inimigos para chegar lá, principalmente para que possamos viver as bem-aventuranças.
A foto acima mostra famílias desesperadas que escapam de Khorsabad, uma cidade controlada pelo ISIS que estava sob o fogo de Peshmerga. Como é que a tradição da Igreja Católica poderia ter os Cavaleiros Templários matando os muçulmanos no cerco de Malta e ainda acreditar em um Salvador que disse amai vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem? Temos de olhar o passado além da confusa teologia dos últimos 50 anos para ver que a tradição da Igreja Católica, na verdade, tem uma abordagem mais prática e mais misericordiosa para com os inimigos do que uma nova teologia baseada em sentimentos. Com efeito, nossa resposta hoje virá de uma oração oficial da Missa Latina Tradicional para os inimigos. Lembre-se, esta Missa não foi criada por um grupo de católicos e protestantes tomando café expresso em uma cafeteria italiana, mas suas raízes são “apostólicas” pelas palavras infalíveis do Concílio de Trento. Certas partes foram posteriormente alteradas ou formuladas sob o sangue dos mártires e os jejuns e vigílias de santos selecionados ao longo de séculos muito lentos. Assim, quase todas as orações da Missa Latina Tradicional remontam ao tempo entre o século I e VII dC. É por isso que podemos dizer que a liturgia é um olhar para dentro da mente de Deus, mesmo em referência a uma simples Oratio para um inimigo.
Como eu escrevi, há realmente uma oração para os inimigos na Missa Latina Tradicional, e isso mostra a mente de Deus:
Uma tradução da oração superior do Missal de 1962 é a seguinte:
Ó Deus, Amante e Guardião da paz e da caridade, concedei a todos os nossos inimigos verdadeira paz e caridade, juntamente com a remissão de todos os seus pecados, e pelo vosso poder livrai-nos de suas ciladas. Por Nosso Senhor. Amém.
Vamos compartilhar esta linda e poderosa oração para ver como ela é mais misericordiosa e prática do que qualquer coisa que poderia vir de uma liturgia fabricada ou feita pelo homem.
Ó Deus, amante e guardião da paz e da caridade
Observe que se trata de uma oração dirigida para Deus, não para a congregação. Ela reconhece que a caridade e a paz não são invenções sociais, mas que unicamente Deus pode dar caridade e paz, porque Deus é amor. Quando nos desviamos dEle (mesmo doutrinariamente), não nos desviamos apenas do Magistério. Desviamos do Ser infinito que é Amor em Si mesmo.
Concedei a todos os nossos inimigos verdadeira paz e caridade
Pessoalmente, acho surpreendente ver que a antiga tradição da Igreja Católica tem algo mais misericordioso e prático para os inimigos do que qualquer coisa que eu encontrei nos primeiros cinco anos do meu sacerdócio rezando a Missa de Paulo VI. Em outras palavras, os intensos santos de todos os tempos rezavam para que Deus realmente concedesse “paz e caridade” a todos os seus “inimigos”. Isto pressupõe que os sacerdotes e os santos têm inimigos. Assim, é uma oração que leva sangue, suor e lágrimas. A Missa antiga é tão sutil, mas perfeitamente trabalhada em cada palavra. A liturgia é a ponte entre Deus e o homem, até mesmo para questões tão corajosas como nossos inimigos. Quando essa ponte é quebrada, esqueceremos como viver até mesmo os aspectos práticos da vida, incluindo a oração pelos nossos inimigos.
[Concedei aos nossos inimigos] a remissão de todos os seus pecados.
Em meio a todas as divisões doutrinárias da Igreja de hoje, deveríamos cada um orar esta oração hoje: “Concedei a todos os nossos inimigos a verdadeira paz e caridade, juntamente com a remissão de todos os seus pecados.” (Da omnibus inimicis nostris pacem caritatemque veram: et cunctorum eis remissionem tribue peccatorum.)
Esta Oratio ou oração acima atinge todos os transcendentes: Verdade, beleza e bondade. Reconhece, no entanto, que a unidade transcendente final (ou unidade) não pode ser alcançada por uma forma fabricada de paz do homem, mas, sim, apenas pela paz de Cristo. Esta é uma paz que não foi aceita pela maior parte do mundo, como visto na foto superior do ISIS que destrói mais vidas. Não podemos fingir paz com os muçulmanos ou mesmo com os hereges católicos que se infiltram na Igreja. Mas Jesus não perde a paz. Na verdade, Ele a dá de uma maneira profunda, mas contracultural: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!” – João 14:27
Pelo vosso poder livrai-nos de suas ciladas.
Eu realmente, realmente amo esta parte da oração. Nós rezamos nosque nosque ab eorum insidiis potenter eripe, que é: “Salvai-nos dos planos insidiosos de nossos inimigos, pelo vosso poder!” Isso mostra que a plenitude do Catolicismo é muito prática, não amorfa ou nebulosa. “Deus, por favor, concedei paz e amor aos meus inimigos, mas os mantenhais longe de mim e dos meus entes queridos!” Pessoas reais e grandes santos (geralmente na mesma estatura de São Paulo) não eram pessoas–favoritas. Eles eram grandes amantes das pessoas que estavam diante deles, o suficiente para morrerem por seus inimigos. Assim, também, nós não negamos o dano feito a nós por nossos inimigos, mas nós os amamos, nós os perdoamos e rezamos por eles.
Veja você, ainda (mal) vivemos em um mundo mais real, mais material, mais direto do que a realidade virtual de um Oculus. Ficará ainda mais real quando aumentarem os ataques terroristas em nosso solo, certamente chegando em 2017. Porque a vida é real, material e direta, precisamos de orações que são reais, materiais e diretas. “Deus, por favor, amor aos meus inimigos, mas impedi-os de afetar a minha vida.” Vamos rezar esta oração corajosamente por e contra 1) os inimigos da tradição, 2) os inimigos da vida por nascer e 3) os inimigos dos cristãos do Oriente Médio.
Precisamos de orações corajosas, misericordiosas e práticas como esta. 2016 foi um ano que produziu cerca de 90.000 mártires. Tivemos 900.000 mártires nos últimos 10 anos. A tradição da Igreja está sob cerco e os inimigos do movimento pró-vida não têm intenção de parar de matar bebês apenas porque Trump foi eleito hoje. Tirei esta foto em Nova Orleans há poucos dias, e ela ilustra perfeitamente o amor aos inimigos, até mesmo aos inimigos de criancinhas inocentes e pequeninas como esta “escolta-mortal”. Observe a alegria da mulher católica atrás dela, enquanto ela reza o seu Rosário.
Então, Deus da paz e da caridade, por favor, concedei a paz e a caridade a todos os nossos inimigos e até mesmo a remissão de seus pecados. Mas, também Senhor, salvai-nos rápida e poderosamente de seus planos insidiosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário