Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Simbolo da paz, simbolo do ódio.


"E sereis entregues por vossos pais, e irmãos, e parentes, e amigos, e farão morrer a alguns de vós outros: E sereis aborrecidos de todos por causa do meu Nome."

Alguma vez você já se perguntou de onde o símbolo da paz veio? Combinando um círculo, uma linha vertical, e as linhas inclinadas para baixo, sua origem, remonta aos primórdios do cristianismo. 
O símbolo de um pé-de-galinha foi criado e usado por Nero (Nero Cláudio César Augusto Germânico, governou Roma de 54 a 68) como sinal do cristão quebrado, representando uma expectativa vã na salvação e na paz em Cristo, simbolizando também a perseguição aos cristãos sob o seu governo.
Como resultado da morte de São Pedro, Apóstolo e primeiro Papa, que foi crucificado no reinado de Nero, de cabeça para baixo, passou-se a utilizar o pé-de-galinha ou cruz de Nero, para ultrajar Cristo, simbolizando todo oposto do cristianismo.
A concepção atual do citado emblema é atribuída em parte a Gerald Herbert Holtom (1914 - 1985), que teria o criado em 21 de fevereiro de 1958, entre a suas inspirações teria a de um camponês ante o pelotão de fuzilamento com as mãos estendidas e com as palmas voltada para frente (Massacre de três de maio de 1808, Francisco Goya¹), mas apontando para baixo.
Bertrand Russell (1872 - 1970), filósofo, historiador, matemático, membro do Comitê de Ação Direta contra a Guerra Nuclear, ateu, membro da Sociedade Fabiana², grupo apoiador da nova ordem mundial, pegou a ideia de Holton e divulgou o símbolo da paz em uma marcha contra o poderio nuclear no Reino Unido em 1958.
Historiador como era, Russell sabia muito bem o significado do símbolo, e como ateu, defensor da nova ordem mundial, simpatizante do comunismo, abraçou o que seria conhecido como o símbolo da paz e amor, sinal de luta contra a corrida armamentista, inspiração para os amantes da liberdade do homem, o fim das fronteiras, uma nova ordem da sociedade.
Russell pregava a paz sem Deus, apoiador do comunismo e o seu alinhamento com todos os princípios da Nova Ordem, buscava abolir a Deus, o governo representativo, a propriedade privada, a independência alimentar, a família, e a maioria das pessoas, como parte de sua cruzada anticristã.
Tentando desviar o foco principal do interesse pelo símbolo de paz, Bertrand Russell chegou a escrever que, o símbolo foi criado por um membro de seu movimento contra a guerra nuclear, a partir do código naval de sinalização, e o símbolo representa as letras ND, Nuclear Disarmament ou desarmamento nuclear, porém, o interesse de Russell no símbolo era para demonstrar a derrota de Jesus e que poderia haver paz sem Deus. O símbolo também indica apoio ao comunismo. 
No satanismo, significa um garfo apontado para baixo representando a morte do homem e quando colocado no círculo a significação é a morte total de todas as pessoas. 

Fontes:
¹ - O quadro plasma a repressão do acontecimento que se conhece como o levantamento de 3 de Maio, ocorrido em 1808, após Napoleão invadir a Espanha e a casa real seguir as suas ordens. A revolta estoura a 3 de Maio de 1808, quando uma parte do povo de Madrid tenta evitar a saída, ordenada pelos franceses, do infante D. Francisco de Paula de Bourbon para a França. A situação escalou e as tropas francesas atiraram contra os madrilenos sublevados...
A lenda conta que Goya, com 62 anos, após ter seguido de longe os acontecimentos, ter-se-ia chegado, mais tarde, com uma lanterna ao lugar dos fuzilamentos. Goya ainda não vivia nas cercanias de Príncipe Pío em 1808 e o quadro foi realizado seis anos mais tarde, portanto não foi uma reacção espontânea ao horror...
O quadro está pintado com poucos detalhes, chega-se directamente ao tema. Emprega uma luz quase natural...
Do grupo dos revolucionários destaca-se um com camisa branca. A associação com Cristo na cruz é intencional: as mãos apresentam estigmas. Aqui assassinam mártires. O tema também é tratado na série  -
² - A Sociedade Fabiana é uma agremiação política socialista que se opõe à luta de classes, sendo fundada em Londres no dia 4 de janeiro de 1884.
Recebeu esse nome por valer-se de uma tática gradual e temporizada que lembrava, sob alguns aspectos, a política do cônsul Fábio Máximo, o Cunctator , que, na sua luta contra Aníbal e os cartagineses na Segunda Guerra Púnica, adotou uma estratégia bélica de espera e de lento atrito, em uma guerra de desgaste.
 O socialismo fabiano acredita na gradual evolução da sociedade, através de reformas incipientes e de forma "evolucionista", que conduzam gradualmente ao socialismo, diferenciando-se do marxismo, que prega uma passagem revolucionária ao socialismo. Era inspirado nas ideias de Stuart Mill e sustentava que o bem-estar da maioria exigia o intervencionismo da máquina estatal.
Dentre os proeminentes membros da Sociedade Fabiana, estão os escritores George Bernard Shaw, Leonard Woolf, Virginia Woolf, H. G. Wells, Annie Besant, Salama Moussa, e Bertrand Russell, a anarquista Charlotte Wilson, a feminista Emmeline Pankhurst, o sexólogo Havelock Ellis, o militante Edward Carpenter, o físico Oliver Joseph Lodge, e o político Ramsay Macdonald. - https://pt.wikipedia.org/wiki/Socialismo_fabiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário