Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Antes que seja demasiadamente tarde


“Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”


Pe. David Francisquini (*)
Estamos comemorando o centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhos em 1917. O leitor poderá indagar se diante de tão marcante acontecimento da História da Igreja — certamente a mais importante das aparições da Virgem Maria ao mundo — os homens atenderam ou não aos pedidos da celeste mensageira.
Para responder a essa premente pergunta, importa recordar que a Mãe de Deus veio pedir aos homens oração, penitência, mortificação e mudança de vida, isto é, renúncia à impiedade e à corrupção dos costumes. E também que cressem e professassem a doutrina e a Lei de Deus consubstanciada nos Dez Mandamentos.
A Rainha do Céu e da Terra pediu ainda que se rezasse diariamente o terço e se fizesse a comunhão reparadora dos cinco primeiros sábados (a qual consiste em se confessar com a intenção de reparar o Coração Imaculado de Maria, comungar e passar um quarto de hora meditando sobre os mistérios do Santo Rosário).
Por fim, de maneira imperiosa, pediu a consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração, a ser feita pelas autoridades competentes, pois do contrário essa nação espalharia seus erros pelo mundo. Teria esse pedido — como os outros sugeridos pela Mãe de Deus — sido atendido pelos homens?
— Infelizmente não! Poucos foram os que rezaram, e menos ainda os que se penitenciaram, se converteram e mudaram de vida. O que não deixa de ser um reflexo do não atendimento do pedido de consagração da Rússia.
1917-2017. Cem anos da aparição de Nossa Senhora em Fátima. E também cem anos do bolchevismo na Rússia, o qual foi, e continua sendo, um flagelo para o mundo, que ele descristianiza através da Revolução gnóstica e igualitária. A crise sem precedentes que assola a Venezuela e ameaça o Brasil não é alheia aos erros espalhados pela Rússia.
Como Mãe de misericórdia, a Rainha dos Céus aparece aos pastorinhos portugueses, apresentando os meios para a conversão e mudança de vida. Onde está a conversão? Onde está a penitência? Cumpre lembrar que as aparições de Fátima aconteceram num momento importante do processo revolucionário, e mesmo se os homens não atendessem aos pedidos de Nossa Senhora, como mãe bondosa Ela prometeu: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”.
Plinio Corrêa de Oliveira comenta que ao abandonarem os homens a velha tradição medieval, eles passaram a ter como ideal de vida não mais a Igreja e seus mandamentos, mas “o Humanismo e a Renascença, que procuraram relegar a Igreja, o sobrenatural e os valores morais da religião a um segundo plano”.
No campo social — continua o autor do livro Revolução e Contra-Revolução — “a introdução do ideal de desestabilizar a sociedade, levando ao caos, por meio da luta de classe e da violência e a ter hábitos tribais, estruturando-a numa ‘síntese ilusória’ entre o auge da liberdade individual e do coletivismo consentido, na qual este último acaba por devorar a liberdade”.
E conclui dizendo que, “segundo tal coletivismo, os vários ‘eus’ ou as pessoas individuais, com sua inteligência, sua vontade e sua sensibilidade, e consequentemente com os seus modos de ser característicos e conflitantes, se fundem, se dissolvem na personalidade coletiva da tribo geradora de um pensar, de um querer, de um estilo de ser densamente comuns”.
Propriamente, é a negação da tradição e de todos os valores morais, religiosos, éticos e culturais, com vistas à implantação da anarquia na sociedade.
Daí a importância de Fátima e de sua mensagem para esmagar esse multissecular processo demolidor chamado Revolução, nascido no fim da Idade Média de uma crise de fé e moral sem precedentes na História. Nossa Senhora veio propor os remédios para liquidá-lo.
Remédios bondosamente oferecidos, mas dos quais os homens vêm se recusando a fazer uso. O que faz entrever um fim análogo ao daqueles doentes que se negam a tomar os remédios que seus médicos lhes prescrevem…
(*) Sacerdote da Igreja do Imaculado Coração de Maria – Cardoso Moreira (RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário