Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quarta-feira, 7 de março de 2018

A alegria do jejum e da abstinência

“O mal aflora os prazeres do corpo, sabe a importância do alimento e consequente a fraqueza do homem por ele.


Padre Juan Manuel Rodríguez de la Rosa
Queridos irmãos, ressoa em minha mente as palavras do Senhor ao ser tentado no deserto: O homem não vive só de pão, mas de toda a palavra de Deus. Maravilhosa lição e ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo; sábia, oportuna e correta, rica em seu conteúdo, pequeno tesouro espiritual; ensinamento sublime e eterno, frase direta, sem meias palavras, segura e firme; palavra cheia de autoridade divina; frase que ultrapassa o tempo e o espaço, ensinamento que supera as limitações humanas. Frase que penetra a alma do homem, que não o impede, se ele não quer ouvir, porque a sua doutrina não depende do homem, aceitá-la ou não, mas como está dito: O homem não vive só de pão, mas de toda a palavra de Deus.
Não podes compreender a plenitude da frase do Senhor o maligno, se verdadeiramente a palavra de Deus é alimento para a alma. O demônio despreza a Sua palavra, pois foi ela que o condenou ao fogo eterno, sem parar, sem descanso, sem pausa, sem paz. Foi a autoridade da Palavra de Deus que subjugou a sua rebelião o mergulhando na escuridão do abismo do mal e do sofrimento eterno. 
O mal aflora os prazeres do corpo, sabe a importância do alimento e consequente a fraqueza do homem por ele. De uma coisa boa como é a comida, entre as coisas preferidas, o homem faz dela um ato pecaminoso quando a gula se apodera dele. A gula nos faz esquecer de Deus, é inimiga da temperança, nos enfraquece, deixa a alma suscetível e frágil à mercê do tentador que se espreita, esperando o momento certo. Ele, o mal, sabe que quando a gula se apodera do corpo, o espírito está pronto para cair na tentação do pecado. Muitos são os que fazem da comida, e dos prazeres da mesa, um ídolo. Esse ídolo, que é o seu estômago, torna-os vulneráveis, fracos e o que é mais importante, são obscurecidos pelo poder, pela beleza, pela força impedindo o verdadeiro alimento que é a Palavra de Deus.
Há na Palavra de Deus um alimento real, que gradualmente vai alimentando a alma e lhe dando sustento, com a oração, que torna parte da sua vida; não mais parte, não, mas toda a vida da alma. A Palavra faz o trabalho, operando na purificação da alma, aniquilando a sua arrogância, colocando-a perante Deus. Com isso a alma deseja fazer toda a vontade divina, quer agrada-Lo, quer consolá-Lo, quer retribuir a tanto Amor recebido, assombrada e triste por sua infidelidade, por ter experimentado e relacionado com a Palavra de Deus, que é o próprio relacionamento com Deus.
Quando a Igreja santamente pede aos seus filhos no início da Quaresma que seja tempo de jejum e penitência, a alma, com alegria e desejo fervoroso de obedecer, prepara para esse tempo penitencial “lança” com humildade e amor o desejo de agradar ao Senhor em realizar essa penitência. Há uma alegria na alma em poder oferecer esse pequeno sacrifício a quem tanto deu e constantemente dá a ela. Há alegria na penitência, em particular no jejum e na abstinência, porque podemos nos transportar para aquele momento em que o Senhor pronunciou aquelas palavras divinas, e podemos ouvi-las; e quando nos escutamos podemos acenar com a cabeça e dizer: Sim, meu Senhor Jesus Cristo, é verdade o que o diz, eu humildemente experimento, Sua Palavra é o alimento para minha alma.
O tempo da penitência e do jejum um momento muito especial para a alma que recebe o alimento da Palavra de Deus, pois é o momento de arrependimento, de sacrifícios, de amor a Deus, momento que a alma quer oferecer-lhe uma completa bondade, desapego das coisas terrenas e esquecendo de si mesma, sacrificando em suas necessidades corporais de comida. Para a alma que alimenta da Palavra de Deus é uma alegria imensa poder oferecer esse pequeno sacrifício a quem se deu tanto por ela. A alma que se alimenta da Palavra de Deus nunca deixará esses pequenos sacrifícios.
Com a Quarta-feira de Cinzas inicia a Santa Quaresma, e a alma deseja oferecer ao longo dos quarentas dias um tempo de penitência, do jejum e da abstinência, e com esta mortificação física, também a mortificação dos sentidos, a mortificação dessa paixão dominante que impede uma vida de graça, porque a penitência corporal só é eficaz e agradável a Deus quando os verdadeiros frutos da conversão e a “morte” de si mesmo,
Que alegria há entre o amor e o sacrifício!
Padre Juan Manuel Rodríguez de la Rosa
Tradução Blog Salve Regina!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário, leia: Todo comentário é moderado. Não serão permitidos comentários anônimos sem que contenha a identificação do autor. Comentários ofensivos contra a Santa Madre Igreja não serão aceitos. Comentários de hereges, de pessoas que se dizem ateus, infiéis, de comunistas só serão aceitos se estiverem buscando a conversão e a fuga do erro. De pessoas que defendem doutrinas contra a Verdade revelada, a moral católicas, apoio a grupos ou idéias que ferem, denigrem, agridem,cometem sacrilégios a Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, a Mãe de Deus, seus Anjos, Santos, ao clero, as instituições católicas também não serão aceitos.