Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

"Roma perderá a Fé e se tornará a sede do Anticristo"

Nossa Senhora em La Salette

Attende Domine, et miserere, quia peccavimus tibi.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

sábado, 30 de junho de 2018

Ataque ao sacerdócio, ataque à Eucaristia

"Tomai e bebei o Corpo e Sangue de Jesus Cristo, horrivelmente ultrajado pela ingratidão dos homens. Reparai as tuas transgressões e consola o teu Deus"


Por Roberto de Mattei

A Eucaristia sempre foi o alvo favorito dos ataques daqueles que odeiam a Igreja. De fato, a Eucaristia é uma síntese da Igreja. Como Teólogo passionista observou, "sintetiza todas as Verdades reveladas, e é a única fonte de graça, uma antecipação da bem-aventurança, um resumo de todas as maravilhas da Onipotência Divina" (Enrico Zoffoli, Eucarestia ou nulla , Edizioni Segno, Udine 1994, p. 70).

A Virgem Maria já havia previsto os atuais ataques contra o sacramento da Eucaristia. Na Cova da Iria (Portugal) pediu aos três pastorinhos a "orar a Jesus Cristo", presente em todos os Sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que ela ofende.

O Anjo apareceu para as crianças com um cálice na mão esquerda, Deu-lhe a comunhão a Lucia, e vinho para Jacinta e Francisco, que permaneceu de joelhos. O Anjo disse: "Tomai e bebei o Corpo e Sangue de Jesus Cristo, horrivelmente ultrajado pela ingratidão dos homens. Reparai as tuas transgressões e consola o teu Deus".

O Cardeal Robert Sarah, prefeito da Congregação para o Culto Divino, em seu prólogo ao belo livro do Padre Federico Bortoli A distribuição da Comunhão sulla mano. Profili storici, giuridici e pastorali (Edizioni Cantagalli, Siena 2017), afirma que a cena disse: "diz-nos como nós recebemos o Corpo e Sangue de Jesus Cristo."

Segundo o cardeal, "os ultrajes aos quais Jesus é submetido na Santíssimo Sacramanto, são em primeiro lugar, as terríveis profanações de que alguns ex-satanistas deram conta com descrições horripilantes". Mas assim são "as comunhões de sacrilégio não recebidas na graça de Deus, ou recebidas por aqueles que não professam a fé católica". É mais: Tudo o que pode impedir o fruto do sacramento é, acima de tudo, os erros plantados nas mentes dos fiéis para que deixem de acreditar na Eucaristia.

Mas o mais insidioso dos ataques diabólicos consiste em "tentar sufocar a fé na Eucaristia, semeando erros e promovendo uma maneira inadequada de recebê-la". Certamente, a guerra entre São Miguel e seus anjos, de um lado, e Lúcifer, do outro lado, continua a ser travada nos corações dos fiéis. O objetivo para o qual Satanás aponta é o Sacrifício da Missa e a Real Presença de Jesus Cristo na Hóstia Consagrada. Por sua vez, esse ataque é realizado de duas maneiras: primeiro, reduzindo o conceito da "Presença Real", invalidando a palavra transubstanciação.


A segunda é "a tentativa de remover o sentido do Sagrado do coração dos fiéis". O cardeal Sarah escreve: "Enquanto o termo transubstanciação indica a realidade da Presença, o sentido do Sagrado nos ajuda a vislumbrar sua absoluta peculiaridade e santidade. Seria uma tremenda desgraça se o sentido do Sagrado fosse perdido, precisamente no mais Sagrado! E como pode ser perdido? Receber a Eucaristia, como se fosse algo comum".


Então, ele adverte com estas palavras: "Nenhum sacerdote pode impor sua autoridade pessoal sobre esta questão, rejeitando ou maltratando aqueles que desejam receber de joelhos e na boca a Comunhão. Viemos como criança para recebemos humildemente, de joelhos e na boca, o Corpo de Cristo ».

Os comentários do Cardeal Sarah, são mais do que bem observados, mas é preciso contextualizar-los no processo de secularização da liturgia, que tem sua origem na equívoca "Novus Ordo Missae", de Paulo VI de 3 de Abril de 1969, o quinquagésimo aniversário fatídico será cumprido no próximo ano.

Tal reforma litúrgica, como escreveu o Ottaviani  e Bacci, ao apresentar seu breve exame crítico, a "Novus Ordo" representa tanto como um todo e nos seus detalhes, uma partida impressionante da teologia católica da Missa tal como foi formulada na XXII sessão do Concílio de Trento, a teologia tradicional da missa foi substituído por outra que eliminou a noção de sacrifício e na prática tem diminuído a fé na Eucaristia.

Além disso, a "abertura" da comunhão a divorciados, encorajados pela exortação "Amoris Laetitia" (de Francisco), e a intercomunhão com os protestantes, apoiada por numerosos bispos, ultraja a Eucaristia. 

Deve-se acrescentar que o ataque à Eucaristia tornou-se um ataque contra a Ordem Sacerdotal, dada a estreita conexão entre os dois sacramentos. A constituição invisível da Igreja é baseada na Ordem, um sacramento que permite que os batizados participem do sacerdócio de Cristo. O sacerdócio é exercido principalmente oferecendo o sacrifício eucarístico, que exige o prodígio da transubstanciação, o princípio central da fé católica.

Se a Presença de Cristo no tabernáculo não é real e substancial, e se a Missa é reduzida a uma mera comemoração ou símbolo, do que aconteceu no Calvário, não há necessidade de sacerdotes para oferecer o sacrifício, e como a hierarquia Igreja é fundada no sacerdócio, os fundamentos da Igreja e seu Magistério ficam enfraquecidos.

A partir dessa perspectiva, admitir à Eucaristia a pessoas divorciadas, que se casaram novamente e protestantes, está relacionado à possibilidade de conferir o "sacerdócio aos leigos casados" ​​e às ordens menores sobre as mulheres. O ataque à Eucaristia é um ataque ao sacerdócio.

Nada é maior, mais bonito, mais comovente do que a Misericórdia de Deus para com o pecador. Isso Coração que amou os homens, por intercessão do Sagrado Coração de Maria, que está intimamente ligado, quer nos levar para desfrutar a felicidade eterna no Paraíso, e ninguém, nem mesmo os mais endurecidos dos pecadores, pode duvidar esse Amor Salvador.

Por essa razão, nunca devemos perder nossa confiança em Deus, mas mantê-la até o fim de nossa vida, porque essa confiança ardente nunca desapontou ninguém. O Senhor não nos engana, mas não podemos tentar enganá-lo ou enganar a nós mesmos. E não há engano maior do que crer que é possível ser Salvo sem se arrepender dos pecados e sem professar a fé católica.

Aquele que peca ou vive em pecado é Salvo se se arrepender; mas se ele ousa enganar a Deus, ele não é Salvo. Não é Deus quem condena isto; é ele mesmo que, "indignamente, recebe o sacramento", enquanto bebe sua própria condenação. São Paulo explica aos Coríntios com estas palavras sérias:
"Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e do sangue do Senhor. Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse pão e beba desse cálice. Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação. Esta é a razão por que entre vós há muitos adoentados e fracos, e muitos mortos" (1 Cor 11, 27-30).

O triste destino daqueles que não recebem o sacramento porque persistem em viver em pecado. Mas pior é o destino daqueles que a recebem sem estarem na graça de Deus. E ainda mais grave é o pecado daqueles que encorajam os fiéis a receberem a comunhão no pecado e administrarem ilicitamente a Comunhão. Estes são os ultrajes que ferem mais e mais profundamente o Sagrado Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

Esses são os pecados que exigem reparação de nossa parte, nossa presença diante do tabernáculo, nossa defesa pública da Eucaristia diante de todos os tipos de profanadores. Desta forma, garantiremos a nossa salvação e a do próximo e aceleraremos a vinda do Reino de Jesus e Maria à sociedade, que em breve se estabelecerá nas ruínas do mundo moderno.

(Traduzido por Bruno de la Inmaculada)
Visto em: adelantelafe.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário, leia: Todo comentário é moderado. Não serão permitidos comentários anônimos sem que contenha a identificação do autor. Comentários ofensivos contra a Santa Madre Igreja não serão aceitos. Comentários de hereges, de pessoas que se dizem ateus, infiéis, de comunistas só serão aceitos se estiverem buscando a conversão e a fuga do erro. De pessoas que defendem doutrinas contra a Verdade revelada, a moral católicas, apoio a grupos ou idéias que ferem, denigrem, agridem,cometem sacrilégios a Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, a Mãe de Deus, seus Anjos, Santos, ao clero, as instituições católicas também não serão aceitos.