Seja por sempre e em todas partes conhecido, adorado, bendito, amado, servido e glorificado o diviníssimo Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria.

Pax Domini sit semper tecum

Item 4º do Juramento Anti-modernista São PIO X: "Eu sinceramente mantenho que a Doutrina da Fé nos foi trazida desde os Apóstolos pelos Padres ortodoxos com exatamente o mesmo significado e sempre com o mesmo propósito. Assim sendo, eu rejeito inteiramente a falsa representação herética de que os dogmas evoluem e se modificam de um significado para outro diferente do que a Igreja antes manteve. Condeno também todo erro segundo o qual, no lugar do divino Depósito que foi confiado à esposa de Cristo para que ela o guardasse, há apenas uma invenção filosófica ou produto de consciência humana que foi gradualmente desenvolvida pelo esforço humano e continuará a se desenvolver indefinidamente" - JURAMENTO ANTI-MODERNISTA

____

Eu conservo a MISSA TRADICIONAL, aquela que foi codificada, não fabricada, por São Pio V no século XVI, conforme um costume multissecular. Eu recuso, portanto, o ORDO MISSAE de Paulo VI”. - Declaração do Pe. Camel.

____

Ao negar a celebração da Missa Tradicional ou ao obstruir e a discriminar, comportam-se como um administrador infiel e caprichoso que, contrariamente às instruções do pai da casa - tem a despensa trancada ou como uma madrasta má que dá às crianças uma dose deficiente. É possível que esses clérigos tenham medo do grande poder da verdade que irradia da celebração da Missa Tradicional. Pode comparar-se a Missa Tradicional a um leão: soltem-no e ele defender-se-á sozinho”. - D. Athanasius Schneider

"Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa (desde que não se falte à verdade), sendo obra de caridade gritar: Eis o lobo!, quando está entre o rebanho, ou em qualquer lugar onde seja encontrado".- São Francisco de Sales

“E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos”. - Padre Amando Adriano Lochu

"MALDITOS os cristãos que suportam sem indignação que seu adorável SALVADOR seja posto lado a lado com Buda e Maomé em não sei que panteão de falsos deuses". - Padre Emmanuel

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Considerações sobre a Ave Maria


“A fecundidade da Virgem é uma glória incomparável: tão grande e singular privilégio a eleva acima dos anjos, porque a missão de um mensageiro não tem comparação com à de uma mãe” – São Bernardo


Roosevelt Maria de Castro

Ave-Maria, conforme expressa São Tomás, possui três partes. A primeira foi feita pelo Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo» (Lc 1,28). A segunda, por Isabel, mãe de João Batista: «bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre» (Lc 1,42). A terceira parte foi acrescentada pela Igreja, a saber, o nome Maria, pois o Anjo não disse «Ave, Maria», mas «Ave, cheia de graça». E, como ficará claro, o significado desse nome, «Maria», convém às palavras do Anjo.

Como vimos a primeira parte do Ave Maria são tiradas das escrituras, palavras do Arcanjo e de Santa Isabel e a segunda metade é de composição eclesiástica, alguns comentam que foi composta desde o Concílio de Éfeso, século V, que condenou entre outras na heresia nestoriana, a negação da maternidade divina de Nossa Senhora.

«Ave» é a saudação romana de que o inferior faz ao superior, Ave César. São Tomás de Aquino comenta que, na antiguidade era considerado um acontecimento muito grande a aparição de um anjo aos homens, que possuíam uma inestimável honra em prestar-lhes reverência. Abraão hospedou anjos em sua casa e manifestou-lhe reverência (Gn 18,2). Nunca se tinha ouvido que um anjo tivesse reverenciado um ser humano até a saudação do Arcanjo a Bem-aventurada Virgem Maria dizendo reverentemente: «Ave».

O Arcanjo reconhece a superioridade de Nossa Senhora. Ele que está já nas glorias do céu e vendo Deus face-a-face, dirige a Santíssima Virgem como superiora a ele, reconhecendo Nela uma grandeza que excede a sua própria e a todos os anjos e santos no céu.

A união de Nossa Senhora na terra com Deus, ultrapassa a dos anjos e santos, embora a natureza angélica seja mais perfeita que a dos homens, o anjo reconhece a superioridade de Nossa Senhora em perfeição e dignidade. Em graças Nossa Senhora é mais perfeita que a todos os anjos e santos reunidos no céu.

Nossa Senhora é a prefigura de Eva, que cooperou com o pecado original de Adão, Nossa Senhora por sua vez, cooperou com a obra de Redenção de Nosso Senhor Jesus Cristo, o novo Adão.

O pecado original começou com Eva comendo o fruto proibido e levando-o para Adão. Nossa Senhora, carrega o fruto de nossa salvação, que ao comermos, na Eucaristia, terremos a vida eterna.

Maria tem as mais variadas interpretações, desde Mãe de Deus até “a Senhora”.

Desde o primeiro momento de sua concepção, Ela é a mais Santa de todas as criaturas, mais santa que todos os anjos e santos juntos no céu.

Ao rezarmos uma Ave-Maria estamos cumprindo a profecia do Magnifica (Luc 1, 46) que Nossa Senhora responde aos elogios de Santa Isabel: “De hoje em diante, todas as gerações me chamarão bem-aventurada”.

Temos três plenitudes de graças:
1º plenitude: a de Nosso Senhor Jesus Cristo, que não tem maior;
2º plenitude: a dos santos, que são as graças que eles são fiéis para que cumpram bem as missões deles, dadas por Deus. São plenitudes relativas.
3º plenitude de Nossa Senhora, uma plenitude intermediária, uma superabundância de graças. As graças de Nossa Senhora transbordam para os outros. Ela seria um canal, um aqueduto de graças, não a fonte.

Nosso Senhor está com Nossa Senhora como não está com nenhuma outra criatura, Ele está como Filho.

As interseções de Nossa Senhora estão bem evidentes nos Evangelhos.

Em São Lucas capítulo I versículos de 40 ao 45, ao saudar Santa Isabel, São João Batista foi santificado, apagando a mancha do pecado original, nascendo livre dos pecados.

São João Batista foi santificado no útero de sua mãe pela voz de Nossa Senhora. Nosso Senhor Jesus Cristo foi que procedeu a santificação utilizando a Sua Santíssima Mãe, que ao cumprimentar sua prima, sua voz levou o Espirito Santo para a santificação de São João; “E entrou na casa de Zacarias, e saudou Isabel. E aconteceu que, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espirito Santo; e exclamou em voz alta, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre. E donde a mim esta dita, que a mãe do meu Senhor venha ter comigo? Porque, logo que a voz da tua saudação chegou aos meus ouvidos, o menino exultou de alegria no meu ventre”.

Em São João, capítulo 2 versículos 1 ao 11, a interseção de Nossa Senhora aparece nas Bodas de Caná. Sem ser avisada de que o vinho estava acabando, Ela intercede junto a teu Filho: “E, faltando vinho, a Mãe de Jesus disse-lhe: Não tem mais vinho. E Jesus disse-lhe: Mulher o que nos importa a mim e a ti? Ainda não chegou a minha hora. Disse sua Mãe aos que serviam: Fazei tudo o que ele vos disser”.

A Mãe de Deus
Os ímpios hereges, no primeiro sinal de suas heresias é a negação da maternidade divina de Nossa Senhora, sendo negado por Nestorio de Constantinopla este combatido no Concílio de Éfeso, quando foi proclamado o dogma da Mãe de Deus, Theotokos.

Séculos mais tardes os hereges protestantes, de todas as raças, voltam a condenar ferozmente a divina maternidade, utilizando algumas passagens do Novo Testamento, em que eles maliciosamente tentam imputar a inexistência da divina maternidade.

Usam São Mateus nos versículos 47 a 50 do capítulo 12, para justificar a negação: “Tua mãe e teus irmãos estão ali fora, e procuram-te. Ele, porém, respondendo ao que lhe falava, disse-lhe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, estendendo a mão para seus discípulos disse: Eis minha mãe e meus irmãos. Porque todo aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão e irmã e mãe”.

Mas esquecem os ímpios hereges, desconhecedores da verdadeira Religião, que a interpretação das Escrituras não é para amadores, e em São Lucas, no versículo 38 do primeiro capítulo, Nossa Senhora responde ao Arcanjo: “Então disse Maria: Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela”. Ora, respondeu Jesus: “todo aquele que fizer a vontade de meu Pai” e Maria fez a vontade do Pai.

Novamente, a impiedade dos hereges apresenta, quando eles para atacarem a Mãe de Nosso Senhor, usam de forma maldosa as Escrituras, apontando erradamente, com as suas interpretações diabólicas, dizendo que Maria não é Mãe de Deus. Em São Lucas Capítulo 11, versículos 27 e 28: “E aconteceu, que enquanto ele dizia estas palavras, uma mulher, levantando a voz do meio da multidão, disse-lhe: Bem-aventurado o ventre que te trouxe, e os peitos a que fostes amamentado. Mas ele disse: Antes bem-aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus, e a põem em prática”.

“Ora Maria conservava todas estas coisas, meditando-as no seu coração” (Luc 2, 19).

Bendita é a Virgem, mais Bendito ainda é o fruto do seu ventre.

Fontes:
Comentário à Ave-Maria – São Tomás de Aquino;
Bíblia Sagrada – Padre Matos Soares, 1961;
Catecismo de Adulto, aula 20 – Padre Daniel Pinheiro;
Lutero e o Protestantismo: Solus Christus – Prof. Bruno Silveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário, leia: Todo comentário é moderado. Não serão permitidos comentários anônimos sem que contenha a identificação do autor. Comentários ofensivos contra a Santa Madre Igreja não serão aceitos. Comentários de hereges, de pessoas que se dizem ateus, infiéis, de comunistas só serão aceitos se estiverem buscando a conversão e a fuga do erro. De pessoas que defendem doutrinas contra a Verdade revelada, a moral católicas, apoio a grupos ou idéias que ferem, denigrem, agridem,cometem sacrilégios a Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, a Mãe de Deus, seus Anjos, Santos, ao clero, as instituições católicas também não serão aceitos.